23 março 2012

22 de Março, Dia Mundial da Água, e 50% da Vida Marinha Aniquilada

O que ocorre com a água do nosso planeta, desde rios, lagos, aquíferos até mares e oceanos, é uma verdadeira catástrofe. A vida aquática está sendo exterminada a uma velocidade espantosa. E o ritmo de destruição é maior do que a mais pessimista das estimativas. 

É o que afirma um levantamento realizado por especialistas que integram o Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos (IPSO, na sigla em inglês), uma entidade formada por cientistas e outros especialistas no assunto. Concluiu-se que fatores como a pesca excessiva, a poluição e as mudanças climáticas estão agindo de uma forma tão destrutiva que não havia sido antecipada. Segundo dados e cálculos científicos, já quase 50% da vida marinha está aniquilada, com milhares de espécies já extintas ou em risco iminente de extinção. Da vida dos rios, eu preciso dizer alguma coisa? Basta lembrar-se de como eram os nossos rios, aqui mesmo da nossa região, e como se encontram hoje.

Alex Rogers, diretor científico do IPSO e professor da Universidade de Oxford, comentou: As conclusões são chocantes. Estamos vendo mudanças que estão acontecendo mais rápido do que estávamos esperando e de formas que não esperávamos que fossem acontecer por centenas de anos. Ainda contamos com boa parte da biodiversidade mundial, mas o ritmo atual da extinção é muito mais alto (do que no passado) e o que estamos enfrentando é, certamente, um evento de extinção global significativa”. Sobre esse assunto, mais aqui.

Será que nem falando em perdas financeiras, que é a única coisa para a qual a humanidade dispensa alguma atenção, algo será feito? O editorial do jornal Correio do Povo do dia 21 deste mês trata exatamente dessa questão. Segundo um estudo  do Instituto Ambiental de Estocolmo, as emissões de gases ao redor do planeta podem causar danos de mais de 2 trilhões de dólares devido a perdas na vida marinha, causadas por acidificação dos oceanos e diminuição dos níveis de oxigênio das águas.

O grande oceanólogo Jacques Costeau advertiu-nos certo dia: 

"A última consequencia, de trinta a cinquenta anos depois que os oceanos morressem, seria a extinção da espécie humana. Confinados às áreas entre os mares mortos e montanhas estéries, sofrendo de desnutrição, epidemias e sem abrigo, os humanos finalmente sucumbiriam à anoxia, ou à falta de oxigênio. Então, a vida na terra ficaria reduzida a bactérias e algumas espécies de insetos remanescentes."

4 comentários:

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Isto já era esperado. Desde que a moeda vive na cabeça dos políticos. Verbas são desviadas no mundo inteiro.

Espero MESMO que as bactérias se alastrem.

Fico revoltada!

Beijos

Mirze

Ligéia disse...

Quem disse que o mundo não vai acabar? Não sei como as pessoas ainda têm coragem de pôr filho no mundo com tanta destruição e desgraças que ainda estão por vir. Otimismo? Ou irresponsabilidade? Ou egoísmo?. Ainda se o fizessem para educá-los a salvar e preservar o planeta..., mas é claro que ninguém está preocupado com isso. Só querem ter filhos e "ser felizes". Pronto, falei!...

Alê disse...

Uma data para reflexão,

Afinal, água é dos bens mais preciosos,


Bjkas

Aline Diedrich disse...

É um assunto que precisa sempre estar em pauta... Ótimo a reflexão que você propôs.