Meu 2º livro: Poemas do Fim e do Princípio - Uma Aposta no Livro Digital

Conheça "Poemas do Fim e do Princípio", meu 2º livro com 245 poemas em quase 250 páginas. Adquira a versão impressa ou digital, clicando no link: http://www.livrosilimitados.com.br/loja/autores_descricao.asp?codigo_autor=7



22 outubro 2014

Dia 20 de Outubro foi o Dia do Poeta. Nada a Comemorar.


É, nada. Num mundo cuja humanidade é cada vez menos humana, cada vez mais robótica, mecânica e desprovida de senso crítico e de sensibilidade, a poesia aos vai ocupando um lugar cada vez mais restrito. Deixo dois poemas abaixo que abordam essa temática. Antes, um trecho de Mário Pederneiras:

"É minha poesia que me isola do rastejo vulgar de toda gente...
Na sua estranha calma é que minha Alma se eleva
E purifica."

o homem que não muda

com a muda
de árvore
nas mãos miúdas
espera o homem
(que nunca muda)
mudar o mundo

o homem que não-muda
entre a merda e o medo

e a poesia muda
como quem observa
um morto
como sendo grave
a poesia em silêncio
como sendo árvore


Adeus, Poesia

I
adeus, Poesia

não vês
que o fim te bate a porta?
só os raros ainda vivos
não pensam
que tu estás morta

II
Poesia
não serves para nada
sempre foste muito
para ser (f)útil

sábia demais
para os sermões

e alta
entre os anões

 III
da tua última carta
mais ninguém
abrirá o selo.
melhor assim...
o que verdade
(agora)
antes morrer
do que dizê-lo

IV
adeus, Poesia
abandonas o mundo
para ir com a alma
que abandona os homens

e isto ficará escrito
em sangue
e espírito

21 outubro 2014

Sartori quer que professores comprem seu piso na Tumelero. Vai criar o Cartão Sartori.


Assistindo ao vídeo abaixo postado, deparamo-nos com uma pérola daquelas monumentais, estilo Heinze, ou seja, digna de figurar nos anais da política brasileira. O sr. Sartori do PMDB proferiu uma declaração de dar inveja a Bolsonaros, Malafaias e Felicianos, Fidelixes da vida, enfim, toda essa gente boa, gente que presta, os seres superiores do nosso país, dos quais muito me orgulho: 

"Eu fui lá no CPERS e não assinei o documento exigindo o compromisso de pagar ooooooo... (como que é?...) o piso! Sim, o piso eu vou lá no Tumelero e eles te dão um piso melhor (risos) ali tem piso bom."

Eu acho uma ótima ideia do candidato Sartori. Absolutamente original. Vou votar nele. Mas claro, ele tem que criar o Cartão de Descontos Sartori Cumelero, digo, Tumelero, para que possam não só os professores, mas todos os servidores do estado, comprar com desconto nas lojas Tumelero. Pisos com desconto, tubos com desconto, canos com desconto, brocas com desconto. Bem, não sei o que faria com esses tubos, canos, brocas... Talvez o Sartori tivesse um melhor uso para eles, poderia, por exemplo, pôr na sua porta, no seu ralo do banheiro, bom, isso é com ele. 

É de homens assim que o RS precisa. Sinceros, francos, inteligentes, bons-moços, pacíficos, que não gostam de discussões, de debates, que não prometem o que não irão cumprir. Não sei se o Sartori conseguirá ser melhor que o magnífico Rigotto, outro bom-moço do PMDB, em cujo governo deu para o magistério os titânicos, estratosféricos, cósmicos 19% de aumento em 4 anos e obteve o recorde inesquecível de não chamar ninguém no único concurso para a área que promoveu. Mesmo assim, voto no Sartori. Um "sarto" para a mudança!

Assista ao fantástico vídeo aqui.

20 outubro 2014

Alfredo Bosi, um dos maiores mestres da Literatura Brasileira, NÃO vota em Aécio. Eu também não.

No primeiro turno votei em Luciana Genro, candidata de coragem e de rara inteligência. No segundo, voto em Dilma. Existem três partidos que jamais votarei, por representarem claramente, a partir de suas bases e origens, os interesses das elites, dos mais abastados, dos defensores do autoritarismo e da ditadura militar... São eles: PP, DEM e PSDB. O governo do PSDB de Fernando Henrique, foi, na área da educação, por exemplo, um oceano de absolutamente nada. Aqui no RS, o PSDB de Yeda foi um dos piores governos gaúchos dos últimos tempos, sendo um verdadeiro inferno para os servidores públicos e de uma negligência total nas questões sociais. 

Por isso, e por vários outros motivos, não voto no playboy almofadinha do Aécio Neves. Estou, por exemplo, com um dos maiores estudiosos, críticos e historiadores da Literatura Brasileira: Alfredo Bosi. 
Bosi deixa seus motivos (retirados daqui):

O professor Alfredo Bosi, autor de clássicos como “A Dialética da Colonização”, “Ideologia e Contra Ideologia”, e o best-seller “História Concisa da Literatura Brasileira”, além de editor da publicação “Estudos Avançados”, do Instituto de Estudos Avançados, da USP, formulou onze motivos para votar em Dilma:

POR QUE VOTO EM DILMA PARA PRESIDENTE:
– Porque Dilma já destinou 75% dos recursos do pré-sal para a Educação

- Porque Dilma já destinou 25% dos recursos do pré-sal para a Saúde

- Porque Dilma está desativando o programa de construção de usinas nucleares

- Porque Dilma cuidou do setor energético para impedir um novo apagão

- Porque , apesar das dificuldades econômicas, Dilma aumentou o número de empregos formais e está evitando os males do desemprego

- Porque Dilma criou o programa Mais Médicos, que já está atendendo cerca de 50 milhões de cidadãos, a maioria de baixa renda

- Porque Dilma apoiou grandes programas de acesso de milhões de jovens aos cursos superiores

- Porque Dilma manteve o programa Bolsa Família e criou o projeto Minha Casa Minha Vida

- Porque a política internacional do seu governo é corajosa, independente, amiga da paz e aberta aos países em desenvolvimento e aos subdesenvolvidos.

- Porque a sua personalidade é firme, coerente e equilibrada, como se espera de uma presidente da República.

- Porque Dilma respeita a liberdade de imprensa.

Alfredo Bosi
(Professor Emérito de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo - USP)

Aliás, praticamente toda a USP está com a Dilma, como se pode conferir aqui.

Outra questão importante de comparação é a da questão ambiental. Retiro as informações do site Ponto e Contraponto:

"Enquanto em oito anos de governo FHC o desmatamento cresceu 45%, em sete anos de governo Lula houve redução de 66%. Os números são gritantes e mostram como as políticas dos dois governos em relação ao meio-ambiente são absolutamente diferentes, uma eficiente a outra não." E os índices de desmatamento no governo Dilma é o menor da história brasileira, conforme demonstra os gráfico abaixo:



Ainda há outros pontos e questões para se comparar entre os governos PT e PSDB:

Risco Brasil: FHC 2.700 pontos – LULA 200 pontos

Salário Mínimo: FHC 78 dólares – LULA 210 dólares

Dólar: FHC R$ 3,00 – LULA R$ 1,78
Dívida FMI: FHC Não mexeu – LULA Pagou e emprestou
Indústria naval: FHC Não mexeu – LULA Reconstruiu
Universidades Federais Novas: FHC Nenhuma – LULA 10
Extensões Universitárias: FHC Nenhuma – LULA 45
Escolas Técnicas: FHC Nenhuma – LULA 214
Valores e Reservas do Tesouro Nacional: FHC -185 Bilhões de Dólares Negativos – LULA 230 Bilhões de Dólares Positivos
Créditos para o povo/PIB: FHC 14% – LULA 34%
Estradas de Ferro: FHC Nenhuma – LULA 3 em andamento
Estradas Rodoviárias: FHC 90% danificadas – LULA 70% recuperadas
Industria Automobilística: FHC Em baixa, 20% – LULA Em alta, 30%
Crises internacionais: FHC 4, arrasando o país – LULA Nenhuma, pelas reservas acumuladas
Cambio: FHC Fixo, estourando o Tesouro Nacional – LULA Flutuante: com
ligeiras intervenções do Banco Central

Taxas de Juros SELIC: FHC 27% – LULA 11%
Mobilidade Social: FHC 2 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza -
LULA 23 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza

Empregos: FHC 780 mil – LULA 11 milhões
Investimentos em infraestrutura: FHC Nenhum – LULA 504 Bilhões de reais
previstos até 2010

Mercado internacional: FHC Brasil sem crédito – LULA Brasil reconhecido
como investment grade.
Eu ainda pensei em incluir nesta postagem a atuação CONTRA O POVO de Aécio Neves quando foi deputado federal. Mas ficaria extensa em demasia esta postagem, já extensa. Fica para outra ocasião.

17 outubro 2014

ao Arcanjo Samael*

Tu, que há vastos dias cósmicos
alcançaste ser teu Ser
sem tecer o teu si mesmo
e agora estás na glória das batalhas...

que ergues a chave do abismo
levantas tua Força em verbo
sublimas teu olho em flamas
e triunfas no sangue das espadas...

Tu, que empunhas sol e morte,
massacras temor e medo,
enfrentas o tempo e o mundo,
e és em todas as sendas das estradas...

que pulsas entre a tormenta,
assomas entre Beethoven,
assombras no som das almas
e te ergues entre as marchas infindadas...

ouve a sombra da minha arte,
ó Tu, Deus Marte!

(Na imagem, o quadro "Marte e Vênus", de Gerard de Lairesse.)
El mundo, a juzgar por lo que creían los antiguos, está gobernado por siete causas secundarias, como las llama Trithemo, y son las fuerzas universales, por el nombre plural de Elohim, los dioses. Estas fuerzas análogas y contrarias entre sí, producen el equilibrio por sus contrastes y regulan el movimiento de las esferas:

Michael, Gabriel, Raphael, Anael, Samael, Zadkiel y Oriphiel." 

Eliphas Levi

15 outubro 2014

Reflexão Rítmica e Rápida sobre o Destino

o decurso dos destinos
as delongas das demoras
os despistes das desgraças
a desforra das derrotas
o descuido das demências
os dizeres dos distantes
o deságue dos desejos
o divino dos desígnios

13 outubro 2014

da Verdade Nenhuma

todos dizem:
“as pessoas devem conhecer
a verdade”.
melhor seria se dissessem:
“as pessoas devem conhecer
aquilo que eu acho
que é a verdade”.
ou ainda:
“as pessoas devem conhecer
aquilo que eu quero
que seja a verdade”.

é interessante
como as pessoas admitem
que não sabem tudo
mas estão certos
de que sabem a verdade...

todos têm a verdade
como sua área de conhecimento
todos estão certos de que estão certos
todos creem que têm toda a razão
na razão que têm

mas
por que a verdade
(também e além)
não pode ser o oposto
do que é para ti?
o que garante a tua garantia?

o lado para o qual foste
era o lado da verdade?
os teus caminhos
te levaram até a verdade?
as tuas preferências
preferiram a verdade?
os teus gostos
gostaram da verdade?
só os teus aprendizados
aprenderam algo?

e todos os outros
que fizeram o oposto
não têm verdade alguma?

talvez a verdade
seja um todo disperso
que está ao mesmo tempo em tudo
mas as partes desse tudo
não sabem de verdade nenhuma


10 outubro 2014

Dois Dentes de Esperança

I

hoje
tudo é comprado
(até virgindades)
e tudo é vendido
há até
quem venda esperanças
(e até virgindades)
aos olhos vendados
do povo fodido

II

quem crava seus dentes
nas veias cavas macias
das nações indefesas?
o lucro vampírico
(de chupacabras)
das grandes
em
presas


07 outubro 2014

de Força e Ser

I

se há um Deus(es)
ou não
(seja o que/como/quando/onde...)
não vem agora ao caso
nem é essa a questão...
seja como for
Ele(s) está
onde os covardes não estão

II

ter força
não é tentar a tudo forçar
mas a tudo poder não temer

III

o melhor
é ser temido
ou ser amado?
nenhum.
o melhor é apenas Ser
pois Ser
quase ninguém é:
raros se conhecem
a ponto de ser seu Ser

(Na imagem, o quadro "Perseu e Andrômeda" de Joachim Wtewael)

05 outubro 2014

Adeus Amélia, Adeus PP


A Ana Amélia e sua arrogância, a arrogância dos pepistas aqui em Santiago, quando, na inauguração da Casa de Ana Amélia, já chamavam a candidata de "governadora", porque, na época, ela liderava as pesquisas, foi pro saco. 

O blog O Fim se orgulha de ter auxiliado na derrota da Ana Amélia (com esta e esta postagens), em convencer os eleitores que a candidata do PP era a representante dos ricos e seus apadrinhados, na tentativa eterna de manter os seus privilégios. 

Agora, no segundo turno, é Tarso ou Sartori. Vou de Tarso, mas se for o Sartori o vencedor, estou contente. O importante é: ADEUS AMÉLIA, ADEUS PP.

04 outubro 2014

Hoje, Dia Mundial dos Animais. Quem se importa?

É, quem se importa? Não se importariam normalmente, quanto mais na véspera de uma eleição. Mesmo assim, vou republicar meu poema abaixo:

Sobre a Tua Vida Esmagada



graxaim atropelado
(pela estrada):
nenhuma lágrima
de ninguém
teu sangue esparramado
(pela estrada)
é mancha do que era:
para quem passa rápido
(que é preciso ir e vir
a correr e a sorrir)
tu foste de outra era
e agora és nada

tu sendo um
és todos
que já não são
para que fosse
o progresso
(pela estrada
ao nada)
quem se importa
na pressa?
tua existência
num mundo moderno
é inútil
é um excesso

sobre a tua vida esmagada
(pela estrada
findada)
soprou um hálito
de so(risos)
a sonhar com beijos na noite
ou com sono de justos
ou em festas baladas
sobre a tua vida esmagada
(pela estrada
esvaziada)

eu mesmo...
fiz o quê?
nada
só um poema
que também é nada
para quem o lê
(pela estrada...)

02 outubro 2014

Dez Motivos para NÃO Votar em Ana Amélia

1° - Ana Amélia diz que quer cortar os cargos de confiança, mas não disse que foi um cargo de confiança do próprio marido, ganhava muito para isso, mas parece que não trabalhava no "emprego" devidamente.

2° - Ana Amélia omitiu para a Justiça Eleitoral que possuía um latifúndio, ou seja, para parecer "mais pobre". Uma candidata que já inicia a campanha com omissões bastante "oportunas", vai fazer o quê quando governar?

3° - Ana Amélia quer trazer de volta a meritocracia do governo Yeda. A meritocracia é a típica visão de empresa, onde se estabelece um padrão forçoso, arbitrário e artificial de "lucro", não respeitando características e aptidões naturais de cada servidor, gerando um clima de insegurança, competição e conflito.

4° - Ana Amélia e seu partido, PP,  representam o agronegócio, os ruralistas e os grandes empresários, ou seja, aqueles que veem o estado como uma empresa a ser administrada para gerar lucro, dinheiro, e não justiça, igualdade e bem estar social.

5° - O PP de Ana Amélia, no tempo que era a ARENA, foi o sustentáculo da ditadura, apoiando os atos de opressão, repressão, o desrespeito e até crimes contra as liberdades individuais. No entanto, hoje quer falar em esperança e democracia.

6° - O PP de Ana Amélia é o partido do preconceito e da intolerância. Eu nem preciso citar as ideias desumanas defendidas pelo deputado do partido, Luís Carlos Heinze, que vive abraçado com a candidata Ana Amélia.

7° - Ana Amélia quer cortar gastos públicos, mas não explica que isso significa arroxo salarial, ausência de concursos e nomeações de servidores, redução de investimentos sociais, como na educação, saúde, segurança, falta de apoio aos pequenos agricultores e pequenos empresários... Tudo isso está embutido no "cortar gastos públicos".

8° - Ana Amélia é um produto da RBS, da indústria da imagem, aprendeu a deixar uma ótima aparência para a sociedade do espetáculo. Sua campanha é uma grande jogada de marketing para ludibriar os incautos.


9° - Ana Amélia considera a ex-governadora Yeda, uma ótima gestora. Isso já diz tudo por si só. O governo Yeda foi o mais desumano, conflituoso e estagnado governo do RS dos tempos de democracia. Arroxo salarial, combate aos servidores, desmonte da educação, da saúde e da segurança foram suas marcas.

10° O décimo motivo ficará bem esclarecido lendo-se esta irônica matéria do Sul21 sobre a atuação de Ana Amélia como senadora. Clique aqui.

Mas deixo este resumo: único projeto de lei de Ana Amélia aprovado no Senado, 
"o resultado de quatro anos de trabalho.

Eis, senhoras e senhores, o PLS de Ana Amélia que conseguiu aprovação:
SF PLS 1/2012 de 06/02/2012
Ementa: Denomina “Rodovia José Pereira Alvarez” o trecho da rodovia BR-287 entre as cidades de São Borja e Santiago, no Estado do Rio Grande do Sul.
Autor: Senadora Ana Amélia
Local: 20/05/2014 – SEXP – SECRETARIA DE EXPEDIENTE
Situação: 19/05/2014 – APROVADA

Ao Após

palavra que sinto quando me esqueço
o que é que de ti lembrar-me te faz?
água que alonga ao instante fugaz
nada que traga o meu não ao avesso

seja comigo ao altar do teu preço
verbo-destino que segue-me atrás
silêncio que os muros quebra do mas
sonata que cala ao som do que esqueço

ah se eu corresse em teu rio sempre em chama
íris que fosse no som desta voz
braço sanguíneo que se ergue da lama

verso de nunca que se alta no após
ah se teu quem fosse aquilo que chama:
deixa esquecer-me e lembrar-te entre nós...

29 setembro 2014

da Suprema Indiferença

I
Indiferença
é só para homens de brio:
não é não-sentir
é saber quando for sentimento
ou o sustento de um olhar frio

II
a suprema indiferença
é a sensibilização
de saber que não há nada no homem
e no vazio do seu desejo
e é a intuição impassível
daquele almo instante denso
em que te vejo

III
ser  Indiferente
é permanecer
que seja o Ser