18 abril 2012

Após uma Melodia de Schubert

essa estrela que eu olho
não é ela que está lá
pois uma outra é que há
que me olha no que eu olho
mas essa estrela que é
que deseja o que eu vejo
nunca é no meu desejo

essa noite que eu vi
nunca foi a que estava
mas voou com outra asa
longe do que pedi
alma do que não foi
e outra noite me envia
voo do que morria

este sonho que eu tenho
não é sonho que pode
eu fiz-me em outra ode
nada que não sustenho
erro do meu não ser
noite que não vou tê-la
nem sonho e nem estrela...

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Belíssimo poema!

Beijo.

Ligéia disse...

Pra saber como é após uma melodia de Schubert, tem que ouvir muito, conhecer bem. Não ouvi ou ouço muito, não conheço bem. Sorry.

Seu poema é Divino!! Como deve ser após uma melodia de Schubert!