31 dezembro 2012

As Cafajestadas do Novo Código Florestal. E em Santiago?

Recebo e-mail de Marcio Astrini, do Greenpeace, com o seguinte conteúdo:

"O fazendeiro Leo Andrade ganhou seu presente de Natal. Com uma multa que ultrapassa os R$ 18 milhões e considerado, há alguns anos, o indivíduo que promoveu o maior desmatamento da Amazônia, o latifundiário ganhou um presentão: vai ter sua dívida perdoada, graças ao Novo Código Florestal."

Esse é o nosso Novo Código Florestal, defendido com unhas e dentes pela bancada ruralista. Bancada ruralista que conta com um certo apoiozinho aqui na nossa região. Está aí o deputado Luis Carlos Heinze do PP que não me deixa mentir. Adorado por muitos aqui em Santiago,  foi um dos que mais lutaram para que as cafajestadas ambientais do Novo Código se concretizassem. 

Às vezes, fico me perguntando o que os nossos fazendeiros, ruralistas, latifundiários, estancieiros, plantadores de soja, cultivadores de arroz, andam fazendo no interior de Santiago e região com as libertinagens do Novo Código... Eu, sinceramente, não sei. Será que preservam os recursos de suas terras? (Que não são só suas, as terras do planeta pertencem, em direito legítimo, à humanidade.) A imprensa aqui divulga alguma coisa? Se sim, por favor, me informem. Eu nunca vi nada a respeito. Sou um desinformado.

Meu blog não é um blog de notícias, obviamente, está longe disso, e nem pretendo que um dia ele venha a ser. Por isso, gostaria de ler em nossos blogs jornalísticos algo sobre o assunto. Mas, como sou um pessimista, não tenho esperanças de que algum crime ambiental que seja eventualmente praticado por algum grande estancieiro seja divulgado na "Terra dos Coronéis". Sim, afinal, o que esperar de uma região em que desde partidos políticos que estão (ou não) no poder, passando por hospitais, imprensa, empresas são, direta ou indiretamente, controlados e/ou influenciados pelos "coronéis do agronegócio"? 

Quando penso no assunto, não sei por que, lembro-me daquela passagem de "O Tempo e o Vento" do grande Érico Veríssimo, dita pelo personagem Juvenal Terra, referindo-se ao estancieiro e"mandatário" da cidade de Santa Fé, Coronel Amaral:  “Todo mundo aqui  sabe que metade dos campos desse velho é tudo campo roubado!” Será que aqui em Santiago, em algum momento de nossa história, houve roubo de campos? Eu não acredito. Mas está aí um bom assunto a ser pesquisado pelos nossos blogueiros. Haha!

5 comentários:

Janice Adja disse...

Ééééé´!!!!
Dinheiro só vai pra quem tem ou pega dos outros.
Beijos!!!

Janice Adja disse...

Como você fez para colocar seu facebook no blogger?
me ajuda.
Beijos!!

Gracieli D. Persich disse...

A máfia do latifúndio vai acabar com os recursos naturais que ainda existem graças ao nosso governo que varre tudo pra debaixo do tapete. Aqui em Santo Ângelo hoje tive a certeza que meio ambiente nunca vai ser prioridade pro governo (sim, eu ainda tinha esperanças de uma sensibilização ecológica pelo menos na administração municipal): foi escolhido um desqualificado total pra ser secretário do meio ambiente. Assim fica difícil formar-se especialista em meio ambiente no Brasil.

angela disse...

O pior é a cara de pau e o silencio que cerca esse assunto. O deserto vai se formando...
Um bom 2013 e já que estamos em dias de esperança, desejemos que este código não floresça.
beijo

Maria Bonfá disse...

uma das coisas que mais me entristecem é ver o descaso sobre o desmatamento..e ainda o 'cara'que é o (ou um dos) maior responsável tem a dívida perdoada..é lógico que ele vai continuar a fazer o que tiver vontade.. triste demais isso.. aproveito para te desejar um feliz ano novo que ele seja para vc e seus familiares um ano repleto de realizações..beijo