03 outubro 2012

Um Ouvido pelo Outro


então
o quê?
qualquer coisa que se sim
ou não
se faça
não irá impedir
nem o breve nem o largo
do derramamento da taça

qualquer coisa
que se diga
cruza incólume
de tímpano a tímpano
de traça por traça

qualquer trecho
que se leia...
nem teia
qualquer música
que se toque...
nem toque

é nada

cada um
é ninguém
e todos
não valem um
ou uva
já passa

nem estou comigo
e mal
sei por que digo

6 comentários:

Ana Bailune disse...

Bom dia! Obrigada por participar de meu bloguinho. Teu poema tem força, tua poesia é linda, e eu gosto.

Natalia Campos disse...

Muito bem cancionado. Amei o poema! Beijos, Reiffer :)

Marisete Zanon disse...

Ótima sacada! Gosto do que escreves.
um abraço

Lu Guedes disse...

Gostei do ritmo da sua poesia. Fui ler seu primeiro post e fiquei boquiaberta com o seu estilo.

bacio

MARILENE disse...

Um estilo maravilhoso de versar. Gostei DEMAIS! Abraços

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Poeta

Por vezes apenas escrevemos...o tudo e nada de que somos feitos.

Um beijinho
Sonhadora