19 abril 2012

Para o Dia do Índio, Os Doentes, de Augusto dos Anjos

Para o Dia do Índio, comemorado hoje (mesmo não havendo o que comemorar), nada melhor que um trecho terrível do poema "Os Doentes", do grande Augusto dos Anjos:

Os Doentes (Trecho)
E o índio, por fim, adstrito à étnica escória,
Recebeu, tendo o horror no rosto impresso,
Esse achincalhamento do progresso
Que o anulava na critica da História!
Como quem analisa uma apostema,
De repente, acordando na desgraça,
Viu toda a podridão de sua raça...
Na tumba de Iracema!...
Ah! Tudo, como um lúgubre ciclone,
Exercia sobre ela ação funesta
Desde o desbravamento da floresta
À ultrajante invenção do telefone.
E sentia-se pior que um vagabundo
Microcéfalo vil que a espécie encerra,
Desterrado na sua própria terra,
Diminuído na crônica do mundo!
A hereditariedade dessa pecha
Seguiria seus filhos. Dora em diante
Seu povo tombaria agonizante
Na luta da espingarda contra a flecha!
Veio-lhe então, como à fêmea vêm antojos,
Uma desesperada ânsia improfícua
De estrangular aquela gente iníqua
Que progredia sobre os seus despojos!
Mas, diante à xantocróide raça loura,
Jazem, caladas, todas as inúbias,
E agora, sem difíceis nuanças dúbias,
Com uma clarividência aterradora,
Em vez da prisca tribo e indiana tropa
A gente deste século, espantada,
Vê somente a caveira abandonada
De uma raça esmagada pela Europa!
Augusto dos Anjos

3 comentários:

Alê disse...

enquanto lia, lembrava também de índios de legião,

o que fizemos com os verdadeiros filhos dessa terra?
o que demos a eles, dessa pátria amada?

nada,

mas tiramo-lhes o direito mais sagrado, e aquele ao qual, eles faziam jus: a liberdade!

Nadine Granad disse...

Ou hoje estou no auge de minha sensibilidade... ou simplesmente as lágrimas brotam em protesto - hipocrisia da data!

Beijos =_)

Ligéia disse...

O século é outro, passou-se mais de dois, e nada mudou, piorou! Não são mais só os louros europeus!
Adoro a poesia de Augusto dos Anjos!

Excelente post, Reiffer. Muito bem lembrado, e justo.