16 agosto 2011

Mais Alto

um outro sol
um outro sol mais ao alto
se erguerá sobre o sol derradeiro
vitorioso em som sonho e pesadelo
e um outro som mais alto e vermelho
se erguerá em de cada perdido instante
em teu vasto sim de guerra e mais adiante
um outro sou se erguerá em que vai avante
mais alta em larga prata e mortífera espada
de ponta adiante e ainda mais e mais elevada
de ultra e além lâmina e mais afiada em adaga
e um outro canto em soprano surgirá mais além
de sublime em sublime e mais ainda em quem vem
se erguerá mais acima e acima em que nunca ninguém
e se erguerá mais um passo ao alto do horizonte que espanta
e um outro verbo mais grave com fúria aguda venta e se lança
e outro olho mais fundo e avante em outra Força mais alta levanta

5 comentários:

Ligéia disse...

Tom profético, algo bíblico...
Muito bonito! Interessante que o ritmo acelera, à medida em que as sílabas aumentam e os versos crescem, e em "escada", descem... E o outro sol, o sol mais alto, está no alto,no topo dessa "escada".

Parabéns, Reiffer!

Matheus de Oliveira disse...

Realmente impressionante o poema, tanto na incrível construção como na profundidade de conteúdo. Todos meus parabéns! Abraços!

Ligéia disse...

Voltei para dizer o seguinte: na verdade, não uma escada, mas uma ... montanha. Profético!

MIRZE disse...

REIFFER!

Incrível essa profecia em forma de poema. Um ritmo alucinante e certeiro.

Bravíssimo!

Beijos

Mirze

Claudia disse...

Primeiramente já me surpreendeu o título do teu blog, que é o mesmo do meu (em outro idioma).
Gostei da construção visual e, claro, da serenidade com que as palavras se encaixaram =)