16 junho 2011

Tudo é Cálculo

gosto de não ser entendido
é bom não ser o que se é
(é o que mais me faz sentido)
que a poesia é para se ser
(independente de acessível ou grega)
e isso chega

além do mais
(o que é além do mais?)
por que querer que eu seja
o que sou aqui?
sou no verso que deixo
mas não sou o que deixo do verso
e meu vou muito mais disperso
e falo do que não é meu eu
porque somente sou
e bem mais o que se perdeu
mas o verso fica
e eu não irei junto com ele
portanto não me confundam
com o que eu disse
e vice-versa e versa-vice

as palavras que fatalmente digo
nem sei se estão comigo
elas vieram e eu as disse
como o mafioso que atira
porque tem que atirar
(é sua função
como quem vive aspira (a)o ar)

porém
cada palavra é calculadamente meditada
(me ditada)
que tudo (tudo) é cálculo
por mim mesmo feito
ou até mim enviado
(por algum outrem
em inconcebível jeito)
e este mesmo poema é um plano...

(talvez meu talvez não
talvez prenúncio de furacão)
...
vamos ver o que ele será
daqui a um ano...

9 comentários:

Prosas e Versos - AndreaCristina Lopes disse...

Oi! Legal teu blog. Visita o meu?

http://andreacristinaescritos.blogspot.com/

Beijos!

Katia Cristina disse...

Como sempre brilhante!

Zélia Guardiano disse...

Lindíssimo, meu querido Reiffer!
Uma abordagem ao aspecto transitório das coisas, dos fatos, da vida...
Adoei!
Abraço da
Zélia

Meme Vergara disse...

besos y abrazos o viceversa.

Lou Albergaria disse...

O poema é mesmo uma incógnita ( se matemática, eu não sei...) De toda forma, quando se deforma e nos desforma cumpre sua liberdade de ser o que tiver de ser...

Bom conhecer seu blog; sua poesia encanta e me dita outros signos de expressão.

Beijo grande!!!

MIRZE disse...

COMO SEMPRE EXCELENTE!

O cálculo na poesia, no que se diz, depois de uma hora precisa ser refeito.

Beijos, poeta!

Mirze

Agnes Mirra disse...

Genial!

Paulinha Barreto disse...

Que lindo, gostei muito.

Otimo final de semana.
beijos

Luciana Nogueira disse...

Olá. Vim-te agradecer pelos elogios ao meu blog e comentar que é engraçada a maneira como chegaste até ele, embora me deixe muito satisfeita.

Admito que gostaria de, antes de publicar este comentário, ter lido com mais calma o poema da postagem. Mas o tempo me tem sido curto, e por ora me impede. O que percebo dele, À primeira vista, é que tem um ritmo ágil, como movimentos ensaiados que se mostram espontâneos.