05 janeiro 2011

Verssoss Impassíveiss

entre o ssim e o ssom
ssilenssia o sséu esstranho
do teu ssegredo...

há calma d’alma
que nada abala
que nunca passa
teu ssempre ssábio
ssol de ssonata
adagio largo
e calma d’água
que nada...

...(a)tinge
adagio lago
que pedra alguma
perturba
infringe

tranquila alaga
nada em meu nada
na calma da adaga
que ninguém enfrenta
ou afaga

ssingra o teu ssopro
maternal ssereno
ao ssereno da sselva
ssangra o teu ssonho
de fogo
a que todo sser
sse rende...

éss como um ssilvo
de sserpente
que assende...

(Na imagem, uma escultura da deusa egípcia Ísis)

10 comentários:

Gisa disse...

Ssssimplesssmente o máx(ssss)imo!
Um bj. querido amigo

Igor Buys disse...

Interessante e sofisticado: uma elegia ideográfica à Deusa.

O recurso da forma das letras a significar objetos hieroglificamente, in casu, as serpentes, em paralelo à repetição de fonemas, a significar a sibilação, são expedientes muito poeanos e estão na base do simbolismo, que foi, você sabe, fundamente influenciado por Poe.

Abraços

angela disse...

Bonito e inspirado poema.
beijo

Davi disse...

Gostei. Esse método que você usou, isso de simular o silvado ficou bem legal, fora a evocação à Isis, ótimo!

Mirze Souza disse...

REIFFER!

O máximo essa simbologia que fala as entrelinhas do poema. Admiro muito novas formas de expressão, à la Poe.

Beijos, poeta!

Mirze

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Poeta!

Vc me impressiona pela delicadeza dos versos e pela força dos sentimentos que coloca neles.

É maravilhoso vir aqui e beber dessa fonte tão pura de poesia.

Parabéns! Lindo o seu poema! :)

Beijos

Cristina Lira disse...

Lindo Blog, e o texto é bastante inspirador. O que me faz gostar cada vez mais da blogosfera é poder encontrar cantinhos como esse. Parabens, adoreii..
Quando puder passa lá em casa rs
http://passossilenciosos.blogspot.com

Bjos..feliz ano novo!

EU disse...

Surpreendente tua forma de versejar (vou tentar vir mais vezes...), em termos de forma; o conteúdo merece ser relido, não é "impassível"...Parabéns! Bjo :)

Srtª Bêêh disse...

De um sereno gostoso. Vento que me sopra e abraça todo o eu que se esparrama em deleite.
Adorei o poema.

Amanda Arrais disse...

Fui lendo como se tivesse lendo em voz alta e adorei a brincadeira com as palavras. Parabéns.

=*