15 janeiro 2011

Mais Uma Catástrofe Criminosa na Amazônia

Vou apenas transcrever aqui trechos do e-mail recebido da ong Avaaz, que luta pela preservação ambiental em nossas terras:

"O Presidente do IBAMA se demitiu ontem devido à pressão para autorizar a licença ambiental de um projeto que especialistas consideram um completo desastre ecológico: o Complexo Hidrelétrico de Belo Monte.

A mega usina de Belo Monte iria cavar um buraco maior que o Canal do Panamá no coração da Amazônia, alagando uma área imensa de floresta e expulsando milhares de indígenas da região. As empresas que irão lucrar com a barragem estão tentando atropelar as leis ambientais para começar as obras em poucas semanas.

A mudança de Presidência do IBAMA poderá abrir caminho para a concessão da licença – ou, se nós nos manifestarmos urgentemente, poderá marcar uma virada nesta história. Vamos aproveitar a oportunidade para dar uma escolha para a Presidente Dilma no seu pouco tempo de Presidência: chegou a hora de colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar.

Assine aqui a petição de emergência para Dilma parar Belo Monte – ela será entregue em Brasília, quando conseguirmos 150.000 assinaturas.

A hidrelétrica iria inundar 100.000 hectares da floresta, impactar centenas de quilômetros do Rio Xingu e expulsar mais de 40.000 pessoas, incluindo comunidades indígenas de várias etnias que dependem do Xingu para sua sobrevivência. O projeto de R$30 bilhões é tão economicamente arriscado que o governo precisou usar fundos de pensão e financiamento público para pagar a maior parte do investimento. Apesar de ser a terceira maior hidrelétrica do mundo, ela seria a menos produtiva, gerando apenas 10% da sua capacidade no período da seca, de julho a outubro.

Os defensores da barragem justificam o projeto dizendo que ele irá suprir as demandas de energia do Brasil. Porém, uma fonte de energia muito maior, mais ecológica e barata está disponível: a eficiência energética. Um estudo do WWF demonstra que somente a eficiência poderia economizar o equivalente a 14 Belo Montes até 2020. Todos se beneficiariam de um planejamento genuinamente verde, ao invés de poucas empresas e empreiteiras. Porém, são as empreiteiras que contratam lobistas e tem força política – a não ser claro, que um número suficiente de nós da sociedade, nos dispormos a erguer nossas vozes e nos mobilizar. "

Já disse que aqui, várias vezes, que essa forma de desenvolvimento que todos os governos vêm promovendo em quase todos os cantos do mundo, pensando apenas no retorno imediato, vai acabar consumindo todo o nosso planeta. Aliás, é o que está acontecendo.

2 comentários:

Karina disse...

Mais um projeto absurdo que só visa a lucros. Salvar o planeta? Cada um só se preocupa em salvar a si mesmo e ao seu próprio bolso. E isso porque a situação do mundo já está crítica. Imagine se não estivesse...

Gostei muito do blog!

Beijos!

Mirze Souza disse...

REIFFER!

Essas catástrofes se avolumam a cada dia!

Assinei e parabenizo você pela iniciativa!


Beijos

Mirze