13 dezembro 2010

Marcha do Crepúsculo Perdido

além daquele eternus
sonhava um sol...

a céu que não descia
pairava um mas

aquém do verde negro
loucura ao mar

azul velado à nuvem
cigarro e cruz

um álcool lento a lento
do que mais fiz

um vento em mão há Brahms
e um deus sem luz

fumaça em lança estrela
e espera em som

desejo insana a vida
fracasso e vã

sentir venena a rosa
tristeza o sul

há noite alenta escura
sou só meu fim

amém duele infernus
sonava um sou...


6 comentários:

Davi disse...

Cadência e forma.
Umas imagens originais.
Lembra mesmo o tom de uma marcha.

Lara Amaral disse...

Original e com um ritmo muito bom de ler. Gostei, poeta!

Beijo.

Bibiana Benites disse...

Querido!
Feliz com sua visita no "Enttreaspas". Seja bem-vindo.

Beijos : )

Gisa disse...

Já te disse e repito, adoro o teu ritmo... a marcha marchou...
Um bj querido amigo.

Vampira Dea disse...

Queria que vc escrevesse uma de começo, pq pra ter fim tem que ter o inicio, mas adorei esse aqui com um bocado de coisa de vida e de fim.

Neuzza Pinhero disse...

música invocando espírito dentro de outro espírito

Spirituals