05 novembro 2010

Palavras ao Sol

Sol
és um traidor
prometeste-me tanto ser com os teus dias
mas tostaste minhas esperanças
com o fogo injusto das tuas auroras...
bastou o teu amanhecer ilusório
para que os sonhos me presenteados
pela materna Lua
(“Ó Lua, Lua triste, amargurada...”)*
se dissolvessem na indiferença da tua luz...
quando eu mais precisei de ti
me viraste a face
por entre as nuvens
da tempestade...

ah se eu pudesse
impedir que viesse o teu verão
asfixiá-lo com a minha névoa
enegrecê-lo com a minha noite
e congelá-lo com a minha geada
para não ter que ver
com o cansaço dos meus olhos
pelas ruas degradantes de calor
o desfilar patético em todos os sentidos
da fútil frívola supérflua
desta imbecil alegria estúpida
da humanidade sem nenhum sentido

mas o que digo?
sim, agora eu recordo:
devo estar contigo...
Sol, és meu alento último
és o Fim
Tu acabarás com esta humanidade:
perdoa-me, sou teu amigo.

* verso de Cruz e Sousa



12 comentários:

Vampira Dea disse...

O Sol não vai acabar, nada vai acabar, pelo menos por enquanto, licenças poéticas a parte nesta externa transformação pra melhor ou pior até eu me adaptei so Sol.
Eitha home que escreve!

A. Reiffer disse...

Tudo acaba, amiga, sempre morre o dia e nasce a noite, e morre a noite e nasce o dia. Assim é tudo. Abraços!

Marcantonio disse...

Considerações astronômicas à parte (sempre inquietantes pela enormidade), se eu pudesse adiar o verão...

Abraço.

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta

Uma intensidade poética neste poema,como sempre adorei.

beijo
Sonhadora

Zélia Guardiano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zélia Guardiano disse...

Bravo, A.Reiffer!
Versos maravilhosos, encantadores.
É sempre um prazer enorme ler os teus escritos!
Abraço bem forte

Lara Amaral disse...

Ele lá, tão longe, e capaz de estalar todos os nossos pensamentos.

Muito bom, poeta!

Abraço.

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Poeta!

Lindos versos...

Iluminou-me e aqueceu-me como o próprio Sol. :)

Beijos

Mirze Souza disse...

Maravilha, Reiffer!

Ah se eles nos escutassem!

Uma verdadeira explosão poética!


Beijos, poeta!

Mirze

angela disse...

Tudo se transforma, tudo muda.
Bonitos versos.
beijos

Sonhadora disse...

"tostaste minhas esperanças
com o fogo injusto das tuas auroras..."

Li. Não satisfeita, li em voz alta, depois em voz baixa e acabando esse comentário lerei novamente.

Você escreve e não está pra brincadeira!
rs

Parabéns!

Gisa disse...

Enérgico e definitivo. Adorei a força e o ritmo do texto.
Um bj.