02 setembro 2010

O Labirinto, de Jorge Luis Borges ( que merecia o Nobel...)

Borges é para mim o maior escritor da América Latina. Talvez não o maior poeta (embora esteja entre os maiores, certamente), mas na prosa é insuperável. Melhor, na minha opinião, que Gabriel García Márquez, e merecia mais que este um Nobel. Só que o Nobel, como a maior parte das premiações artístiscas, é uma piada. Sim, prêmios literários o que expressam? O gosto de alguns. Não venham me falar de imparcialidade, de conhecimento dos críticos, essas baboseiras todas. Arte é subjetividade. E ponto final. Ninguém tem a capacidade objetiva de determinar o que é melhor ou que é pior na arte, quando, é claro, trata-se de autores de níveis semelhantes. Poderia mencionar inúmeros exemplos aqui do que digo. Basta dizer, no entanto, que Fernando Pessoa perdeu um concurso com seu genial "Mensagem" para um padre literariamente medíocre que hoje ninguém sabe quem é.

Talvez seja até melhor que Borges não tenha ganhado o Nobel. Isso fala ainda mais alto  em favor de sua genialidade, tanto como prosador como poeta. E como poeta, deixo aqui um de seus enigmáticos poemas, incluído no livro "Elogio da Sombra" de 1969. (Na imagem que acompanha o poema, "O Sonho do Pastor", de Füssli)

O Labirinto

Nem Zeus  desataria essas redes
de pedra que me cercam. Olvidado
dos homens que antes fui, sigo o odiado
caminho de monótonas paredes
que é meu destino. Retas galerias
encurvando-se em círculos secretos
com o passar dos anos. Parapeitos
que se racharam na usura dos dias.
Já decifrei no pó esbranquiçado
rastros que temo. Tenho percebido
no ar das côncavas tardes um rugido
ou o eco de um rugido desolado.
Sei que na sombra há Outro, cuja sorte
é exaurir as solidões sem fim
que este Hades fiam e desfiam,
sugar meu sangue e devorar minha morte.
Nós dois nos procuramos. Quem me dera
fosse este o dia último da espera.

Jorge Luis Borges

6 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Ele deixou uma obra incomparável em língua espanhola. Que critérios usam para ser merecedor desse prêmio?! Tenho certeza também, que isso não teve importancia nenhuma em suas obras!

BeijooO*

Richard Mathenhauer disse...

O Oscar nem sempre vai para quem merece. Que o diga Obama.

Abraços,

Garotanasnuvens disse...

http://garotaenunvens.blogspot.com/

visita lá.

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Estou completamente de acordo com o que você diz aqui.

Não posso comparar, porque do Gabriel Garcia Marquez, só li um livro e me cansou.

Já o Borges, guardo com muito carinho tudo que tenho dele. Realmente na prosa, ele é o máximo.

E na poesia também.

Quanto ao Nobel, nem Manoel de Barros quis.

Um abraço!

Mirze

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Estou completamente de acordo com o que você diz aqui.

Não posso comparar, porque do Gabriel Garcia Marquez, só li um livro e me cansou.

Já o Borges, guardo com muito carinho tudo que tenho dele. Realmente na prosa, ele é o máximo.

E na poesia também.

Quanto ao Nobel, nem Manoel de Barros quis.

Um abraço!

Mirze

Katia Cristina disse...

Quer rir sobre premiações e coisas do gênero? Leia "farda, fardão, camisola de dormir" de Jorge Amado!
bjs