26 maio 2010

Então És Livre?

ainda que tenhas que trabalhar
durante as melhores
as mais claras
as mais belas
horas do dia
és livre
completamente livre...

e que trabalhes
5 meses por ano
apenas para pagar impostos
és livre
enormemente livre...

e que pagando teus impostos
ainda tenhas que pagar
planos de saúde
escolas para os filhos
seguranças para a noite
pedágios nas estradas
e faculdades particulares...
és livre
divinamente livre...

e se um dia
houver um pane em toda internet
um colapso na energia elétrica
o esgotamento da água potável
verás como és livre
sublimemente livre...

és livre
para pensar como todos pensam
para sentir o que todos sentem
para ouvir o que todos ouvem
para andar como todos andam
para viver como todos vivem:
na moda.

e por hora
és livre para consumir
e deves consumir sem parar
senão
o que é que os outros
vão pensar?

12 comentários:

Leticia Duns disse...

Pois é estamos presos até nas palavras, pensamentos e aparência...

Brasil país de gente presa, atráz das grades ou não...

E assim vamos, quem sabe um dia tudo mudará?

Bela reflexão.
Bj
Le.

Sandra Botelho disse...

Muitos se aprisionam em si mesmos...
maravilhoso poema.
Bjos achocolatados

Agnes Mirra disse...

Poema incrívelmente ilustrativo e que nos põe pra pensar e até mesmo refletir profundamente sobre 'estar' mas 'não ser'...

Brilhante e aterrorizante!

Sarah Slowaska disse...

Já falei sobre a liberdade inúmeras vezes, e até agora nada nem ninguém foi capaz de tirar da minha cabeça que ela é a causadora de todas as clausuras.

Um beijo

Moonlight disse...

Existem pessoas assim, livres no contexto das tuas palavras.
Mas a maior liberdades de todas é sabermos sermos nós mesmos por inteiro e livres para flutuarmos sobre tudo o que causa clausura.

Bj com luar

Richard Mathenhauer disse...

A liberdade é uma doce utopia que alguns perseguem, julgando não a ter alcançado, e que outros desprezam, julgando que já a vivem na plenitude...

Abraços,

Lara Amaral disse...

Nossa, bem no ponto-chave!

Beijos.

Sonhadora disse...

Meu amigo
Que belo poema...sempre presos nas convenções.

Beijinhos
Sonhadora

Rúbida Rosa disse...

Sempre muito acertado nos teus juízos.Ótima reflexão.

Elaine Barnes disse...

Bom para refletir.Esse é o reflexo das nossas próprias prisões. Tem gente que bebe liberdade e arrota libertinagem.Mesmo assim o ser humano vive em seu próprio calabouço.
ah, gostaria que fosse conhecer as bloggirls
http://asmeninasdoblog6.blogspot.com/
Montão de bjs e abraços

Black Crow disse...

Quem dera realmente existisse liberdade...

Soturna Noite disse...

" o consumidor como objeto da cultura"