05 maio 2018

Explicações

não me explico.
por que deveria dar um motivo?
reservo-me o indizível direito
(com o que faço
só eu devo estar satisfeito)
de dizer-me ou não:
se for pelo sentir mais alto
(ou sonho que me tomou de assalto)
de meu eu me desdigo
que nunca falo do meu falo
e não sou meu próprio umbigo

as palavras são asas veladas
que não tenho e que sustenho
sem ter que ter no meu chão
(só a mim interessa o meu não)
algo de lago sobre o mar
e o lento da morte ante o luto
sempre em segredo a te olhar

a minha palavra é longo longe de mim
e por outra maior estrada
se eu tivesse que explicar tudo
melhor seria não dizer nada

Nenhum comentário: