07 fevereiro 2014

Rinoceronte-Negro entra para a lista de animais EXTINTOS nos últimos 250 anos. E um poema de extintos.

O Rinoceronte-Negro-Ocidental, ou africano, foi oficialmente declarado extinto. Nenhum exemplar é visto desde 2006. Em 2000, havia 20 rinocerontes-negros vivendo na África. Há ainda o Rinoceronte-Negro-Oriental, ou asiático, ou Rinoceronte-de-Java, que viva na ilha de Java, na Indonésia, cujo risco de extinção é extremamente crítico, pois a população é estimada em apenas 50 animais. Anos atrás,  a outra espécie de rinoceronte asiático, o Rinoceronte-de-Sumatra, já havia sido extinta. Sobre a extinção do rinoceronte-negro, saiba mais aqui

E, por fim, há a espécie mais conhecida e mais comum, o Rinoceronte-Branco, para o qual os esforços de conservação têm dado alguns resultados, e sua população têm se mantido estável.  Porém a caça ilegal pelos chifres do animal, culpada pela extinção do Rinoceronte-Negro, continua dizimando a espécie.  Enfim, ao fim de tudo, a GANÂNCIA é o que vem aniquilando com a vida na Terra. A ganância nossa de cada dia. Que está ao nosso lado e dentro de nós, e nem nos damos conta. Ou se damos, não nos importamos nenhum pouco. Um dia faremos aquilo que um ganancioso tem horror de fazer: pagar o preço. Aliás, já começamos  a pagar...

A lista dos animais já EXTINTOS nos últimos 250 anos é bem maior do que muita gente pensa. Há pessoas que acreditam que o número de espécies recentemente extintas não passa de uma dúzia. A verdade é que só de mamíferos, o número chega a mais de 100 espécies e cerca de 30 subespécies extintas. De aves, o número é ainda maior: mais de 140 espécies e cerca de 70 subespécies já não existem mais em nosso planeta. Isso sem contar aquelas espécies que podem ter sido extintas sem nem terem sido catalogadas pela ciência. 

Segundo estudos recentes, 25%, ou 1/4 das espécies de mamíferos atuais do planeta corre sério risco de extinção. É muita coisa. E o pior é que os números estão aumentando. E rapidamente. A extinção em massa das espécies já se iniciou. 

Utilizando-me do nome de alguns dos animais já extintos, escrevi o poema abaixo:

Versos Inexistentes

Dodô
Emu-Negro
Foca-Monge
Asno-Sírio...

Leão-do-Atlas
Leão-do-Cabo
Zebra-Quagga
Ave-Elefante
Arau-Gigante
Íbis-Terrestre
Tigre-de-Bali
Tigre-do-Cáspio
Tigre-de-Java
Lobo-de-Honshu
Vaca-Marinha
Sapo-Dourado
Cervo-Schomburki

Gazela-Vermelha
Dugongo-de-Steller
Antílope-Azul
Raposa-das-Falklands...

Pombo-Passageiro
Lobo-da-Tasmânia...
Cabra-dos-Pirineus
Pato-do-Labrador
Jiboia-da-Ilha-Round
Rinoceronte-Negro...

Tartaruga-da-Ilha-Pinta
Lagarto-da-Ilha-de-Ratas
Wallaby-Rabo-de-Prego...

Pato-de-Cabeça-Rosa
Periquito-do-Paraíso
Bandicoot-do-Deserto
Rinoceronte-de-Sumatra
Arara-Vermelha-de-Cuba...

deixei 34 versos
inexistentes
e mais uns outros
de adeus:
quem sabe
amigos extintos
um dia o meu destino
beberá vinho tinto
na presença
dos teus...

Nenhum comentário: