23 junho 2013

Contra a Imbecilidade do "Ato Médico"

Só para não perder o costume, é o Brasil na contramão. Enquanto a tendência mundial é dar mais autonomia às demais profissões da área da saúde, para que os médicos não tenham o monopólio absoluto tornando a área completamente deles, o Brasil retrocede, e o Congresso aprova o "Ato Médico", que coloca nas mãos dos médicos brasileiros o cetro monárquico absoluto. Em outras palavras, é dizer que só eles, médicos, sabem de saúde, e os demais profissionais da área, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos, entre outros, são uns imbecis que não sabem nada. Bem, o que se esperar de políticos dominados pelo lobby dos médicos, em um país culturalmente atrasado onde ainda tem gente que vê um médico como um representante de Deus na terra?

Os hospitais brasileiros, além das parcas verbas, sofrem com intermináveis e às vezes gravíssimos erros médicos. Não que médico não possa errar, todos os profissionais podem. Porém, há erros gritantes, e, pior que o erro, a negligência corre solta. Nem preciso comentar mais sobre isso, todo brasileiro conhece, ao menos, um caso de negligência médica. Alguns, vergonhosos. Ou não é?

O que um médico estuda mais em sua área do que estuda, por exemplo, um enfermeiro na sua? Ambos são profissionais com cursos superiores e que podem especializar-se em qualquer área da saúde. Conheci profissionais da enfermagem que sabiam mais de medicina do que alguns médicos. Isso sem falar na tradicional frieza e até arrogância de alguns destes, tratando o paciente  de forma distante, às vezes até com descaso, ou então como se ele, o paciente, fosse algum ser mecânico insensível, um boneco em que se pode dar um chute na bunda e ele não tem o direito de reclamar. Há muitos que tratam a vida como se fosse território deles. 

E quando o povo precisa de médicos, o que fazem? Abandonam a Saúde Pública, porque o SUS paga mal para o "nível" de um médico, isto é, fogem da luta, e se refugiam em seus consultórios, cobrando 400 reais por 10 minutos de consulta, ou seja, bem de acordo com as condições do povo brasileiro. É claro que existem grandes médicos, profissionais sérios que têm meu respeito. Mas ainda assim, nada justifica o monopólio do "Ato Médico". Este foi mais um dos projetos impopulares aprovados pelo nosso Congresso enquanto as pessoas, desatentas, protestavam nas ruas... Resta a esperança de que a presidente Dilma vete. Irão protestar para que ela o faça?

Já postei aqui, mas vale a pena postar de novo:

"hospitais são onde eles tentam matar você sem explicar por quê. a fria e calculista crueldade dos hospitais não é causada por médicos que estão sobrecarregados de serviços e que estão habituados e entediados com a morte. é causada por médicos QUE GANHAM DEMAIS PRA FAZER TÃO POUCO e que são admirados pelos ignorantes como feiticeiros que curam, quando na maior parte do tempo não sabem diferenciar seus próprios cabelos do cu de barbas de milho."

Charles Bukowski

Sem mais.

4 comentários:

Sissym Mascarenhas disse...

Al, lindo amigo,

Outro dia achei interessante na novela das 21H, pq a enfermeira disse ao cirurgião chefe que poderia ajuda-lo porque tinha experiencia, para que confiasse nela. Um/a bom/a enfermeiro/a certamente conhece a saude. Sobre erros medicos, no mundo inteiro acontece e isso é lamentavel.

Beijos

Nadine Granad disse...

Hahaha... Sem mais.

OBS: Gostei muito da sua postagem sobre os 'pró-testos'

Beijos =)

Camila Monteiro disse...

Gostei demais do texto! Cheio de verdade!
Será que os médicos de Cuba farão melhor?!

Cris Campos disse...

Al,

Essas coisas nos entristecem tanto não é mesmo? Mas o que esperar? Ratos agem exatamente assim, por trás. Convivo muito com essa categoria e digo sem medo, alguns deles já têm certeza absoluta que são o próprio deus. Lamentável demais esse episódio! Agora a conta fica para o povo pagar. Maiores filas, mais dependência, maior desigualdade. Triste isso, muito triste. Gostei imenso do texto! Gr. Bj.!