04 junho 2012

do Meu Pessimismo

conhecendo-te a ti mesmo
sairás do engano da humanidade:
conhecer o humano
é o estágio
de ser pessimista

otimismo
é  algo como a crença
de que a árvore
que nasceu e cresceu torta
vai se endireitar
depois de velha...

no tudo em que eu te conheço
está o nada em que não te acredito

o meu pessimismo
é como um velho professor antipático
chato e inconveniente
sério e irritante
seco e indiferente
que traz um irônico sorriso no rosto
e chega sempre no meio da festa
trazendo consigo um livro de Não:

ninguém gosta dele
porque todos sabem
(mas não admitem)
que ele tem toda a razão...

4 comentários:

Guilherme Vinjar disse...

Mestre, Clássico como sempre...

Luiz Alfredo disse...

Verdade quem diz não é
o professor
mas o giz que escreve
o poema
que mastiga a aula
na lousa negra da vida
mas é ela que escreve no lápis
o poema pessimista
que risca os labirintos
desta existência
sem sentido
mas no fim o que vale
é o poema
neste vale de enganos
caminhos insanos
mas o poeta o atravessa
com seus versos e canções
porque conhece os percursos
dos acordes e poesias.

Luiz Alfredo - poeta

Marisete Zanon disse...

A do rei!!! Parece que foi feito pra mim, incrível, se me permitir, gostaria de postar no meu blog com os devidos direitos, óbvio...
Um beijo...

Natália Campos disse...

Eu gosto de você. Beijos ^^