15 fevereiro 2012

Ser Livre é Ser Dúvida?

o que é que me diz o que não sabe que não fiz?
aquilo que não era
em que era é que será?
o que será será por mim
ou sou só eu que sou assim?

lua que te luar
o que é que vejo quando me vejo
no som do teu não estar?

aquilo que sendo entardece
nuvens formando tardes
aves que auroram campos
pelo inverso solar do sono...
sou eu que tardo no que sinto
ou é o campo que se nubla como tinto?

noite que te atrás
o que é que tu me trazes?
e o que olho de horizonte
me olha como
entre o que vento
no que silência do monte?

o que não sou está sendo no que fiz
o que não fiz está feito no que sou

5 comentários:

Profe Déia disse...

Minha nossa! Que lindo!
Sabe que fiquei um bom tempo refletindo na última frase do seu poema "O que não fiz está feito no que sou"?
Nunca havia parado para refletir que nos tornamos, também, não apenas o resultado das nossas ações, mas tb das nossas omissões.

Obrigada por tão belo poema e reflexão!
;)

Ah! Gostaria de mostrar o trabalho super bacana realizado por uma luno meu... estou super orgulhosa, sabe? ;)
Se puder dê uma passadinha lá e me diga o que achou?
http://alicenopaisdafilosofia.blogspot.com/2012/02/etica-e-moral-video-de-alunos.html
Abraços,

angela disse...

è como água de rio é estar em constante movimento. Como o entardecer quando percebe já escureceu e foram tantas as cores...
O poema é perfeito nesse fazer/desfazer, ir/voltando...
beijos

Matheus de Oliveira disse...

Genial, de uma densidade profunda!

Diógenes Afonso disse...

Cumpadi Al Reiffer, fique à vontade para reblogar do Terra Brasilis o que for de interesse seu.

Grande abraço!

Alê disse...

lindo!!!!!!!!!!!!