12 março 2011

Poema Catastrófico nº6 – Fora do Lugar*

tudo o que está
fora do que devia estar
errando o seu lugar
é sinal de morte...

a água nunca erra
e a Terra é sempre sábia
o racional é que é errado
habitante-homem-ingrato
que pensa em sua suspensa inconsciência
e em ciência e arrogância
e prepotência e ganância
que pode domar o mundo inteiro
e fazê-lo cativeiro e chiqueiro

tudo o que está fora do lugar
é sinal de morte
desde quem vive onde não pode
a quem põe o que põe
onde não poderia
como a sacola de plástico
que vaga pela vaga vazia

o homem perdeu seu sentido
(em todos os sentidos)
e mal sabe o mal que (se) faz
há água demais pela água
e lixo demais pelo cais...

e em final o que é pior?
a água fora do mar
ou o homem “fora do ar”?

*Poema para o megaterremoto e tsunami no Japão

10 comentários:

Matheus de Oliveira disse...

Tua poesia, não só este poema, tua poesia em geral, merece toda a nossa atenção, ela realmente nos diz muito, em alguns casos, chega a ser genial. É o caso deste poema. Um abraço!

helen ps disse...

Realmente é um tempo de questionamentos.
O que é que tem valor?

Abraços.

PAZ e LUZ

S.tephanie M.ello disse...

Parabéns. Muito boa.

A humanidade está passando por uma era crucial, onde os valores tem que ser recuperados.

Sonia disse...

Triste o que aconteceu no Japão. E não vai parar por aí, até que o homem entenda que não pode tudo.
Maravilha de poesia!

Juliana Dias disse...

Maravilha. Um pouco de poesia pra essa podridão de mundo...

bjs querido!

R.B.Côvo disse...

Dá que pensar. Abraço.

Ligéia Alone disse...

O homem, destruidor de quem o criou. A Natureza é boa mãe, mas não é tola.
Linda poesia.
Parabéns pelo blog, pelos textos, pelos poemas, pelo talento, emFim.

Lara Amaral disse...

Bem dito, Alessandro. Ótimo poema!

Abraço.

Katia Cristina disse...

Enquanto não aprenderem que a natureza cedo ou tarde cobra o que é seu, isso continuará acontecendo.
Pena...

Callie disse...

Ambos tem fortes consequencias..

Abraços ...