09 outubro 2010

Soneto aos Últimos Momentos (para Franz Schubert)

saíste dos solares das auroras
direto aos teus ocasos iminentes
anoiteceu em tudo o que tu sentes
tragédias sussurraram em tuas horas...

o sonho de mais vida te devora
quanto mais ao sublime vais em frente
há morte nos avisos que pressentes
e arcanjos em segredo vão embora...

deixaste um véu no teu gênio profético
alheios à fama os sopros fatais
mas há oculto no teu cântico hermético

e em fúnebres marchas de altos sinais
o hino em dó de um catastrófico épico:
és um homem para os Grandes Finais.

15 comentários:

Metáfora do Tempo disse...

Fantástico, um soneto denso, profundo, misterioso. Digno da música de Schubert. parabéns! Abraços.

Vampira Dea disse...

Esse tb seu? Nossa! queria saber escrever assim, parabéns.

Davi disse...

bom soneto
acho que um dos poucos que vi por aqui.

Michelle Buss disse...

Muito belo! Parabéns!

Graça Pereira disse...

Penso que Schubert comporia uma partitura inédita...inspirada neste soneto MAGNÍFICO!
Beijo
Graça

Zélia Guardiano disse...

Magnífico, meu querido!
Absolutamente digno do grande Schubert.
Parabéns!
Receba, amigo, um abraço todo entremeado de gratidão pela visita que me fizeste.

Sonhadora disse...

Meu querido
Simplesmente maravilhoso...divino.

Beijinhos
Sonhadora

Laysha Vampira disse...

Forte... porem singelo.

Muito bonito esse soneto. Parabéns!

Beijos sangrentos da vampira Laysha.

Janaina Cruz disse...

Se pudéssemos ter alguns finais, talvez mudássemos alguns meios e começos, seria bom...
Teu blog é um encanto!

Priscilla Marfori... disse...

Oi, estou te seguindo também, gostei do soneto!
Abraços.

Lara Amaral disse...

Soneto impecável, a leitura nos enleva. Altíssima qualidade, Alessandro!

Abraço!

LIFE Graciela Bacigalupe disse...

Bello soneto escrito con letrasnotas de un pentagrama sagrado!
Mi admiración y respetos.

Aмbзr Ѽ disse...

eu poderia falar que tal terceto esta melhor mas não dá.. tudo deslumbra.

Richard Mathenhauer disse...

Reiffer,
Muito bons seus versos, com o seu signo sempre presente. E, tornado especial ao ser dedicado a Schubert (dos Liedes sempre oportunos).

Abraços

Andy Brandy disse...

Bravo.