27 outubro 2010

Poema Catastrófico nº2 - Mares Mortos

(poema para o novo Tsunami que devastou a costa da ilha de Sumatra, na Indonésia, e já deixou centenas de mortos. E também levando em conta a recente constatação de que cerca de um terço das formas de vida dos oceanos ou já se extinguiu ou está à beira da extinção.)

7,7
na escala richter...
dizem que o 7 é um número sagrado
mas eu não sei o que digo
com a minha boca asfixiada
com o sangue da água:
para mim o 7 é sangrado

os tímpanos da orquestra em terremoto
da percussão dos sismos
cismaram com meus tímpanos
por mais que me ensinassem
a não me abalar com pessimismos...
e com abalos sísmicos?

arrastou-me os rastos dos rastejos
dos silvos das serpentes asiáticas...
surgem quando menos se espera:
pode se extinguir o Tigre de Sumatra
mas a Natureza é sempre fera...

agora estou lá
morto pelos maremotos
entre os maresmortos...

9 comentários:

Professora Carla Fernanda disse...

Boa noite! Passando para uma visita e gostei do blog. Virei seguidora. Parabéns!
Carla Fernanda

angela disse...

Mortos por mares mortos em maremotos.
Muito bom uso das palavras e poema forte.
beijos

Lara Amaral disse...

Poemaste muito bem sobre o assunto, Alessandro.

Daniela Delias disse...

Muito lindo o teu poema. É intenso...
Um beijão!

Vampira Dea disse...

O Mar sua beleza e para nós seres pequeninos muitas vezes cruel. Vc escreve sobre tragédia e fica tudo bonito do mesmo jeito.

Xana disse...

Passei por aqui , calhou espreitar a tua escrita e gostei muito, hei-de voltar !!
parabéns pela força das palavras

Mirze Souza disse...

Reiffer!

O nº 7 é cabalístico. E você está certíssimo! A página que mais leio é a da Ciência. O aquecimento global está em seu ponto quase máximo.

Sangramos todos e mais nada se pode fazer.

Bravo!

Mirze

Davi disse...

outro do mesmo
um ótimo poema sobre este assunto tão entristecedor, boa obra.

Michelle Buss disse...

Ótimo poema!! Parabéns!