17 julho 2010

do Perfume

o perfume dos novos tempos:
sem fadas e sem palmas
horrores onde minhas narinas deponho
longínquas de inocências de criança...

só o miasma dos cadáveres das almas
flatulências fermentadas do teu sonho
e o fedor da carniça da esperança...

11 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

as flores dos novos tempos ganham aromas fétidos muito facilmente.

Agnes Mirra disse...

Lâconico e direto!

Elaine Barnes disse...

Tudo apodrece.
Montão de bjs e abraços

Sandra Botelho disse...

A podridão de pensamentos e sentimentos contamina a vida...
Bjos achocolatados

Sonhadora disse...

Muito profundo este poema, vai além das palavras.

Beijinhos
Sonhadora

Leca disse...

Perfume...
Olor...
Odor...
e a vida...
ainda continua...

Perdidamente...
Poesia de Florbela Espanca

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Liene disse...

Se eu disser que assim penso, mentiria. Então comprovo:

"Alimento-me de tudos e arroto absurdos. E digo que crueldade é se putrefar sem ao menos morrer."
(Liene em Sobre vôos)

Esses odores mexem comigo.

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Profundo e verdadeiro, está presente em nossas vidas, no "aqui, agora".

Perfeito e reflexivo!

Parabéns, poeta"

Beijos

Mirze

Marcantonio disse...

De acérrimo pessimismo. Ou seria realismo?

Abraço.

Denise Portes disse...

Ainda resta a esperança...
Beijo
Denise

.●.※゚・.•°∴ .•☆☥Nath Gótica☥☆.●.※゚・.•°∴ .• disse...

Forte e super direto!!!
Palavras verdadeiras!!!
Parabéns!!!
Beijão