24 junho 2010

da Poesia Viva

a poesia viva
não nasce
da letra morta das teorias
do verbo putrefato dos manuais
dos sermões miasmáticos dos acadêmicos

a poesia viva
nasce

das letras axiomáticas das estrelas
gravadas no livro infinito do infinito

das palavras sussurradas pelo vento
nos campos-página escritos pelo sol

do verbo hieroglífico dos pássaros
palestrando para os ouvidos das florestas

dos sermões sentenciosos das tormentas
proferido por entre os órgãos dos trovões

e finalmente
da linguística dos beijos...

a poesia viva nasce
de se ter a coragem
de buscar o azar e a sorte...
da vida nasce a poesia
mesmo que trate da morte
que tenha o lábio tocado
e leve a alma ferida:
só a morte
faz valer a pena
a vida de ser vivida

7 comentários:

al disse...

lindo ! :)

Lara Amaral disse...

A poesia que vc (d)escreve é sempre nova, no entanto, a mesma que nos conduz.

Abraço.

Sandra Botelho disse...

A poesia nasce do incompreensivel, inexplicável, do que é complexidade...
Bjos achocolatados

Sonhadora disse...

Meu querido
A poesia nasce das palavras, saídas no mais profundo de nós...escritos da alma.
Lindo poema, muito profundo.

Beijinhos
Sonhadora

jefhcardoso disse...

E como é bom ver mais uma cria poética.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Richard Mathenhauer disse...

É da luta, da vida que "é luta renhida" que nasce - e a felicidade, por vezes, é uma consequencia desta luta ou um prenúncio dela.

Com admiração,

nydia bonetti disse...

Só por esse poema, já te sigo. Queria ter escrito isso. :) Abraços.