07 fevereiro 2010

Fernando Pessoa e Seus Passos da Cruz VI


Continuo postando os sonetos de Passos da Cruz de Fernando Pessoa, conforme explicado na seguinte postagem: http://artedofim.blogspot.com/2009/12/fernando-pessoa-o-predestinado-passos.html . Na próxima semana, o 7º passo. Na imagem que acompanha o poema, o quadro "Caminhante Sobre o Mar de Névoa" de Caspar David Friedrich.


Passos da Cruz - Soneto VI

Venho de longe e trago no perfil,
Em forma nevoenta e afastada,
O perfil de outro ser que desagrada
Ao meu atual recorte humano e vil.

Outrora fui talvez, não Boabdil,
Mas o seu mero último olhar, da estrada
Dado ao deixado vulto de Granada,
Recorte frio sob o unido anil...

Hoje sou a saudade imperial
Do que já na distância de mim vi...
Eu próprio sou aquilo que perdi...

E nesta estrada para Desigual
Florem em esguia glória marginal
Os girassóis do império que morri...

Um comentário:

Rouge disse...

¡Gracias por tus palabras! Diría que a mí también me gusta el tuyo, pero no sería del todo una verdad, ya que no entiendo las letras... pero, sin duda, las imágenes y cuadros que ponés, me facinan.

Saludos!