20 novembro 2009

Schubert e a Canção mais Trágica do Mundo


Qual a canção mais trágica para você, leitor?


Na música clássica, a canção é universalmente denominada Lied (literalmente, canção, em alemão). Lieder é o plural. Trata-se de uma composição breve, de caráter lírico e melódico, geralmente para soprano ou tenor, com acompanhamento de piano, piano e algum outro instrumento, ou orquestra. O Lied também constitui uma união perfeita entre a música e a literatura, pois quase sempre a canção clássica possui como letra um poema composto por algum grande poeta. Goethe foi o poeta que mais teve poemas musicados.

O compositor austríaco Franz Schubert é considerado o responsável pelo desenvolvimento e ápice do Lied, seguido por Schumann, Brahms e Mahler. Pois Schubert compôs uma infinidade de canções trágicas. Muito difícil escolher qual a mais trágica. Qual a mais triste. E mais difícil ainda se compararmos com os lieder de outros compositores, principalmente Brahms.

No entanto, cheguei a uma conclusão quanto ao lied mais trágico. Fiquei entre vários de Schubert e alguns de Brahms, e decidi pelo lied "Der Atlas", que está no ciclo de lieder "Schwanengesang", D957, de Schubert. Esse não é o lied mais triste, nem o melhor. O melhor talvez seja o 1º lied das "Quatro Canções Graves" , "Denn es gehet dem Menschen", de Brahms. E o melhor de Schubert talvez seja "Gretchen am Spinnrade", com texto do "Fausto" de Goethe. Mas o lied "Der Atlas", com pouco mais de 2 minutos de duração, é, para mim, o lied mais trágico do mundo. Esse é o meu julgamento, obviamente subjetivo, como qualquer julgamento artístico.

"Der Atlas", ou "O Atlas" é um pequeno poema do poeta alemão Heinrich Heine, grande nome do romantismo. Atlas, é um personagem da mitologia grega que, devido ao seu desmedido orgulho, recebeu o castigo de carregar nas costas o mundo. É desse personagem mitológico que se originou a denominação dos atlas geográficos. Abaixo, está o poema de Heine, no original em alemão e com a tradução. Quanto à música de Schubert, eu espero ter despertado no leitor que ainda não a conhece, o desejo de buscá-la e conhecê-la.


DER ATLAS

Heinrich Heine

Ich unglücksel'ger Atlas! Eine Welt,
Die ganze Welt der Schmerzen muß ich tragen,
Ich trage Unerträgliches, und brechen
Will mir das Herz im Leibe.

Du stolzes Herz, du hast es ja gewollt!
Du wolltest glücklich sein, unendlich glücklich,
Oder unendlich elend, stolzes Herz,
Und jetzo bist du elend.

O ATLAS

Eu, desafortunado Atlas! Um mundo,
Todo um mundo de sofrimento devo carregar,
Carregar o incarregável, e no peito
Carrego um coração que quer se quebrar.

Ó, coração orgulhoso, bem tu o quisera!
Quisera felicidade, infinita felicidade!
Ou infinita miséria, orgulhoso coração,
Quisera tu! Agora és miserável.

(Na imagem, Schubert, aos 15 anos de idade)

3 comentários:

FROILAM DE OLIVEIRA disse...

REIFFER
sugiro que transformes num link certas ideias, poemas, autores, músicas... como a que te referes na última postagem, para que o visitante (entre os mais assíduos me incluo)possa continuar no hipertexto a partir do teu blog.

MOMENTOS DE LA VIDA disse...

Es bello pasar por tu blog!! me gusta aprender y mas sobre la música lírica y sus autores. un gusto!!!
te dejo un gran beso!!!

A. R. T. disse...

Muito boa crítica!
Bah, tu sempre escreve muito bem sobre música e a arte que ela desperta em ti, melhor que textos de muitos músicos acadêmicos chatos que eu vejo por aí.

Ah, dê uma olhada no poema do Luiz de Miranda no meu blog, botei em homenagem ao temporal de quinta aqui!

Abraço.