06 setembro 2017

As Tripas da Esperança

esta humanidade faliu não sendo
e o homem não atingiu nem o fracasso
naufragou por entre mar de ouro e de aço
esmagado pelo taco do vento

ainda ouço as lágrimas que te lamento
só álcool e réquiens por onde eu passo
teu sonho em sucesso era só um cansaço
teu riso feliz é de um rato horrendo

estes caminhos são os do extermínio
das tripas da esperança no teu rosto
o raio de Saturno em seu domínio

pragas de sapos transbordam os esgotos
e se agiganta um futuro de símios...
mas e quanto às armas? tudo está posto. 

Nenhum comentário: