02 novembro 2015

A Esperança Curvada ao Desumano

derradeira decadência das massas
pela invicta derrota do que humano
vontades que naufragam ano a ano
nos fundos tormentados das não-taças         

o não-haver de tudo que se faça
o em-vão irrevogável do não-plano
a esperança curvada ao desumano
nas vastas pradarias da desgraça

passo a passo de um algo que maldito
sobre as patas-arcanjos de um cavalo
entre os olhos sedentos do inaudito...

a nulidade do ato de salvá-lo
dessangra entre vermelhos de infinito
e o Horror levanta a força do seu falo...






Nenhum comentário: