06 abril 2013

Qual a Utilidade do Legislativo Santiaguense?

Publico texto de autoria de Vanderlei Almeida, presidente do Partido Verde de Santiago:


"A Grande Utopia!

Hoje, após ler no jornal Expresso Ilustrado a notícia que uma vereadora quer o fim das orações para dar inicio aos "trabalhos da casa", quase acreditei que teríamos vereadores(as) com a capacidade de debater os problemas sociais, enfim assuntos de importância à nossa sociedade. Lamentável. E ainda falam do TIRIRICA. Bom, o circo esta armado! Refleti por alguns minutos, e lembrei: quem sabe, as orações, as imagens de santos podem deixar essas pessoas perturbadas, pois rezar, agradecer pelo belíssimo emprego que possuem, e não fazer nada pode causar um mal na consciência dos mesmos. 

Reivindicam para ampliar os horários nas escolas municipais, sendo que nossos nobres vereadores trabalham segunda-feira das 14h até as 16h, no máximo duas horas, uma vez por semana.  Discursos vazios, promessas esquecidas, mas, enfim, somos culpados por elegermos pessoas que se utilizam da tribuna para mandar abraços a amigos, ao pessoal do "rodeio", para reclamarem de seus próprios salários, embora alguns possuem o privilégio de ter dois ordenados, mas mesmo assim "representam" seus eleitores. Deixo aqui o meu desabafo e meu repúdio a políticos que apenas estão interessados em solicitar um bico de luz e patrolamentos no interior. Enquanto isso, ainda continuamos a acreditar na mudança, na coerência de um bom discurso recheado com uma boa dose de mentiras."

Vanderlei Almeida

Bastante a propósito o texto do amigo Vanderlei. Estava pensando, há alguns dias, justamente em tais assuntos agradáveis. O que faz mesmo a maioria dos nossos vereadores? Coçam o saco? E daÍ? Numa cidade de puxa-sacos vai se coçar o quê? Bem, mas não podemos exigir que façam muito, afinal, com o salário de fome que ganham, podemos esperar algo melhor? Duas horas por semana é até demais. Agora, querem o quê? Que sejam como todo e qualquer empregado, que cumpram um horário fixo, que não mintam, que não sejam hipócritas, que se preocupem com assuntos sérios, que tenham compromissos com o povo? Ora, por que eles deveriam ser assim se ninguém o é? Se ainda recebessem uma compensação financeira decente...

E quando pensamos na trabalheira que tiveram alguns de nossos representantes na câmara para se eleger, aí sim entendemos melhor que, de fato, devem passar todos esses quatro anos descansando, é absolutamente justo. Sabemos o quanto sofreram em suas campanhas. Pagando festas e combustível para os amigos, ou necessitando  gastar o dinheirinho suado do papai ou da influência celestial dos nossos sublimes coronéis, ou ainda andando com roupas simples de bairro em bairro, de vila em vila, exercendo a dura pose de bom moço(a), com aquele trabalho insuportável de ter que apertar a mão de todo mundo, mãos sujas, contaminadas, distribuir sorrisos forçados (imaginem tamanho sacrifício, o de ficar sempre sorrindo), ser simpático por obrigação, tendo criatividade para inventar promessas populistas, passando as noites em claro para escrever discursos inflamados e vazios, imaginem como é algo estafante acumular palavras e mais palavras que não digam nada, enfim, o negócio não é fácil, exige muito de um ser humano, uma campanha para vereador é algo que nos esgota totalmente, exaustivo, desolador.

Por isso que entendo, e não só entendo, mas também louvo, nossos vereadores que agora não trabalham, estão justamente sendo pagos pelo povo que os elegeu para descansar. É a ocupação deles, desocupar-se. Não os culpo. E se há ali algum vereador que trabalha, este é um louco, um anormal, talvez até um criminoso, que julga que assim será reeleito.  Depois de toda uma campanha dessas ainda ter a cara de pau de TRABALHAR? Ora, façam-me o favor.

E, ainda por cima, após passarem por todos esses calvários, depois de eleitos ainda têm que aguentar as críticas caluniosas dos invejosos, daqueles que não tiveram a capacidade de se candidatar e de se eleger. Quanto ódio, meu Deus, quanto ódio!

Um comentário:

Cristina disse...

Un excelente artículo,en la política todo vale.
abrazos, bonita noche.