Meu 2º livro: Poemas do Fim e do Princípio - Uma Aposta no Livro Digital

Conheça "Poemas do Fim e do Princípio", meu 2º livro com 245 poemas em quase 250 páginas. Adquira a versão impressa ou digital, clicando no link: http://www.livrosilimitados.com.br/loja/autores_descricao.asp?codigo_autor=7



15 março 2013

Papa Francisco e A Profecia dos Papas: Petrus Romanus, o Último Papa

Deixarei para outros a análise do novo papa, o Papa Francisco. Se será um bom ou mau Papa, não estou muito interessado. Seja como for, ele é um ser humano normal com qualidades e defeitos. Vai acertar e vai errar. Mas melhorar realmente a Igreja Católica, em sua essência? Duvido. 

Tratarei de um assunto mais curioso. Real ou não, que julguem os leitores. Escrevo sobre a chamada Profecia dos Papas, atribuída a São Malaquias. Consiste em uma lista de 112 frases curtas em latim, algumas com alguns acréscimos. Cada uma das frases descreveria um dos papas católicos romanos, começando com o Papa Celestino II (eleito em 1143) e concluída com o último Papa, chamado de "Pedro Romano". No pontificado do último Papa a cidade de Roma seria destruída. 

São Malaquias foi Arcebispo de Armagh, Irlanda, e teve uma visão dos papas futuros em uma viagem à Roma, quando foi recebido pelo Papa Inocêncio II. Durante a estadia, São Malaquias registrou as visões em breves sentenças em forma de enigmas. O manuscrito foi depositado nos arquivos da Igreja, sendo descoberto em 1590. No entanto, a biografia de São Malaquias escrita pelo abade Bernardo de Claraval não faz menção à Profecia dos Papas. A Enciclopédia Católica atual sugere que as profecias são falsificações produzidas no século XVI. Há quem acredite que a Profecia dos Papas foi criada por Nostradamus e creditada a São Malaquias. Seja como for, continua sendo atribuída a São Malaquias, bem como outras profecias, como a precisão da data da morte de São Bernardo e a previsão que a Irlanda seria oprimida pelos ingleses, e, quando libertada, desempenharia papel importante na recuperação da fé na Inglaterra.

A Profecia refere-se ao que seria o 109º papa a partir da profecia, ou seja, o papa João Paulo I, com a seguinte frase: "Salve amore, pater nostro, mediatore sactissimo, presunta victima", que seria: "Salve amor, pai nosso, santo mediador, futura vítima". É ainda acrescentada a frase: "O pastor da laguna; seu reinado será tão rápido como a passagem de uma estrela cadente." Lembro que este papa, considerado um homem justo e compromissado com os bons ideias da Igreja, tentou livrar o Banco do Vaticano da influência da Máfia italiana. Morreu cerca de um mês após assumir. Acredita-se, hoje, que foi envenenado através de um chá. Ou seja, assassinado.

Com as palavras:  De Labore Solis Optimo - ou "Excelente Trabalho do Sol.", a profecia fala do 110º papa, ou João Paulo II. Bem, não há como negar que João Paulo II foi um incansável trabalhador em prol das crenças da Igreja e pela paz mundial. Quanto ao 111º papa, o Papa Bento XVI, a profecia o trata como "Gloria Olivae", ou Glória das Oliveiras. O papa Bento foi líder da Ordem dos Olivetanos. A oliveira é um símbolo dos beneditinos, como o era o papa Bento XVI. 

Finalmente, chegamos ao 112º papa, o último segundo São Malaquias. Este seria o recém escolhido papa Francisco. A profecia diz o seguinte: "Tu, in desolacione suprema sede. Ecce Petrus Romanus, ultimus Dei veri Pontifex!" Ou seja, "Na suprema desolação, reinará Pedro Romano, o último papa do Deus verdadeiro!” Ainda é acrescentado: "Apascentará suas ovelhas entre muitas tribulações, e depois disto, a cidade entre sete montes (Roma) será destruída e o juiz terrível julgará o povo".  

Mas o que isso teria a ver com o papa Francisco? Ele seria chamado por São Malaquias de Pedro Romano. Bem, o que se sabe é que  Jorge Mario Bergoglio adotou o nome de Francisco, que seria uma homenagem a São Francisco de Assis. Porém, o verdadeiro nome de Francisco de Assis é Giovanni di Pietro (Pedro) di Bernardone. São Francisco nasceu na Itália, em 1182, na época em que ainda fazia parte do Império Romano do Oriente. Seria, portanto, um romano. Há a curiosidade também de que São Francisco, ao iniciar sua nova vida, trabalhou como pedreiro, ajudando a reconstruir igrejas nos arredores de Assis.

Outro ponto é que o papa Francisco veio da Argentina, e o próprio papa comentou:  "Foram quase até o fim do mundo para me buscar". Na Profecia de São Malaquias sobre o papa Pedro Romano há um acréscimo feito em 1527 pelo Monge de Pádua, que diz o seguinte: "Ele chegará a Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte."  

Finalmente, alguns ainda fazem referência ao "Papa Negro", mencionado em algumas profecias como o último papa. Relacionam ao Papa Francisco por ele ser um jesuíta, e, segundo José Oscar Beozzo, estudioso da história da Igreja Católica na América Latina. "Os superiores jesuítas sempre foram chamados de 'papa negro'." Sabemos que os jesuítas usam batinas negras.

Simples coincidências, interpretações forçadas e/ou errôneas ou sutilezas da realidade das profecias? Tudo é possível. Ou não? Mas o tempo deverá nos dizer. 

35 comentários:

Weimar Donini disse...

Reiffer,
'Yo no creo en brujas (nim en profecias), pero que las hay, las hay ...'.

Ana Bailune disse...

Uau! A gente torce, torce, e chega aonde quer. Ainda há uma esperança para o fim do mundo, e por isso mesmo, estamos reabrindo a nossa escrivaninha dos Cavaleiros do Apocalipse no Recanto das Letras.

Neyde Arte Artesanato disse...

Das recordações de menina lembro-me vagamente meu pai e amigos em conversas referindo-se ao Papa Negro...Mas, vamos ter esperança de um futuro para o bem, Grata por ser meu seguidor,fico contente.
Aproveite seu fim de Semana com Paz e Saúde,abraços

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Ao contrário do que você disse, a Itália não fazia parte do Império Romano do ORIENTE (que de fato existia no tempo de São Francisco), mas sim do OCIDENTE (que se desfez muitos séculos antes do santo nascer). Logo, ele não era romano. Capisco?

Al Reiffer disse...

Caro, Jamerson. Grato pelo comentário. Mas sugiro que pesquise e verifique que a Itália foi reconquistada, quase que totalmente, pelo Império Romano do Oriente, mais especificamente pelo Imperador Justiniano. No ano de nascimento de São Francisco, 1182, a cidade de Assis estava situada dentro deste Império.

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Bom dia. De fato, a Itália TODA foi reanexada ao Império Romano do Oriente (mas por pouquíssimo tempo). Estamos falando da época em que Francisco nasceu. E nesse ano, apenas o Sul da Itália ainda era parte do Império. Portanto, Assis não era parte do Império Romano do Oriente. Capisco?

Anônimo disse...

Se todos católicos, inclusive minha mãe lessem a bíblia com certeza enxergariam o espiritual. Mas preferem ficar abitolados no q é passado aos domingos e só. Leiam a bíblia e pessam a Deus para lhe dar o entendimento, e com certeza irão enxergar q está escrito q só a um mediador entre o céu e a terra que é o nosso senhor Jesus. Que santo só a existiu um que é o nosso senhor Jesus.

Carla Ceres disse...

Se Roma for destruída, o Brasil pode se candidatar a próxima sede do novo papado. Sugiro a cidade do Rio de Janeiro porque não se conforma em ter perdido o posto de capital nacional pra Brasília e, principalmente, porque, em comparação com Roma, deixa pouco a desejar em termos de pecados lúdicos. :) Abraço!

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Olhe o tamanho do Império Romano do Oriente (Bizantino) em 1180 (São Francisco de Assis nasceu em 1182 - A cidade de Assis fica entre Ravena e Roma. O Império estava fora da Itália e longe de Assis. Capisco?
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:The_Byzantine_Empire,_c.1180-pt.svg

Al Reiffer disse...

Caro Jamerson: essa questão de quando a Itália realmente deixou de fazer parte do Império Romano do Oriente, ou Bizantino, é muito cheia de incertezas. O certo é que a Itália foi a reanexada e aos poucos, começando pelo norte, foi se desanexando. Não há exatidão quanto à época em que a Perugia, onde fica Assis, foi desanexada. A história da própria cidade na Wikipédia em inglês fala que Assis somente livrou-se das muralhas romanas no século 13, ou seja, nos anos 1200: http://en.wikipedia.org/wiki/Assisi

No mapa que tu me mostraste, de fato, Assis estaria fora do Império. Mas este não estaria longe de Assis, como tu falas, mas porém muito perto, questão de poucos quilômetros, é só conferir no própria mapa que me mostraste. E essas fronteiras, na época, não eram exatas como são hoje, o mapa não possui uma exatidão científica como teria um mapa de hoje, baseiam-se em estudos e até suposições dos historiadores, que muitas vezes divergem. Seja como for, fico com a história da cidade, que afirma Assis estar dentro de Roma até o século 13.

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Amigo, sejamos corretos:
1 - Você diz que "Assis somente livrou-se das muralhas romanas no século 13" (traduzindo aquele site em inglês que você me mostrou), mas esse texto em inglês diz apenas que a cidade situava-se entre as muralhas romanas naquela época (como diversas cidades dentro e fora da Itália) e que foi se expandindo. ("The city, which had remained within the confines of the Roman walls, began to expand outside these walls in the 13th century"). Em NENHUM lugar diz que ela "se livrou do domínio de Roma", mas sim, que se expandiu além dos muros romanos criados enquanto ela era parte do Império Romano.
2 - Você diz pra eu olhar no mapa que te mandei que "Assis estava a poucos quilômetros do Império", que "poderia fazer parte do Império"). Mas veja: O mapa que mostrei mostra claramente que o Império Romano do Oriente (em LARANJA) está COMPLETAMENTE FORA DA ITÁLIA. Aquela parte em cinza (que você diz que é Império Romano, que poderia chegar a Assis) é na verdade o Reino Normando da Sicília (Regno di Sicilia), que NADA tem a ver com o Império Romano.
3 - Para finalizar, aquele teu site em inglês diz algo importante logo no parágrafo seguinte: "...walls in the 13th century. In this period the city was under papal jurisdiction". Ou seja, nessa época, Assis estava sob domínio papal: Nem sob em domínio do Império Bizantino e nem do Reino da Sicília. Veja o mapa abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Kingdom_of_Sicily_1154.svg
Capisco?

Al Reiffer disse...

Certo, Jamerson, não tenho nenhum problema em admitir que olhei apressado o mapa que mandaste e que de fato, agora verifico que ali é apenas o Reino da Sicília, fora do Império Romano do Oriente. Mas ainda assim, não se pode afirmar o que afirmaste de início: que São Francisco de Assis NÃO era um romano. Se Assis, a cidade, não estava sob domínio do Império do Oriente, estava sob o domínio do Sacro Império Romano, que foi formado em 800 e permaneceu dominando a região de Assis até meados do século XIII. O Sacro Império Romano passou a se chamar Sacro Império Romano-Germânico somente em 1512. Podes conferir no mapa que até 1378 a região de Assis fazia parte do Sacro Império Romano. O texto oficial da história da cidade é para mim interpretado como finalmente o início de uma libertação romana em meados do século XII. Então, para mim, seja no Império Romano do Oriente, seja no Sacro Império Romano, São Francisco de Assis poderia ser considerado um romano. As minhas pesquisas iniciais apontaram como Assis sendo do Império Bizantino. Mas se não era, tudo bem. Se é assim, fazia parte do Sacro Império Romano, como indica este mapa: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:HRR.gif Para efeitos de profecias, não se pode dizer que S. Francisco não era um romano, pelo contrário. Pode-se dizer que era.

Al Reiffer disse...

Também creio ser importante acrescentar este trecho: "O Título de Imperador Romano ou Rei dos Romanos desaparecera com a queda de Roma, mas o Papa Leão III o recriou, no ano 800, Imperator Augustus, conferindo-o a Carlos Magno, rei dos francos. O título passou para as dinastias alemãs. Só a partir de 1254 o título recebe a palavra "Sacro"." Fonte: http://www.cobra.pages.nom.br/fm-sacroimp.html

Al Reiffer disse...

Logo, analisando o mapa (em que Assis faz parte do Sacro Império) que está no comentário acima, e o fato de o título de Imperador ou Rei dos Romanos ter sido recriado, torna-se patente que os habitantes sob jurisdição do Sacro Império Romano eram considerados na época romanos.

Glaucos disse...

Reiffer, você precisa de mais fundamentos, a especulação (achismos) não podem explicar nada. Siga so passos do Jamerson.Viva o intelecto!!!!

Anônimo disse...

Prezados,
Importante, neste momento, atentar para o fato que Pedro Romano não seria necessariamente o nome do novo Papa. Seria uma dica para que seja identificado. Papa Francisco, da mesma maneira que Pedro, tem a função de edificar a Igreja Catolica porem, desta vez, a partir de Roma. Logo podemos identificar esse Papa como um segundo Pedro seja pela sua humildade ou tarefa a realizar porem desta vez a partir de Roma entendo que temos agora um segundo pedro agora romano ( uma vez que na epoca de pedro a Igreja Catolica não era romana.
Logo entendo que nada melhor que Pedro Romano para identificar Papa Francisco que veio de uma terra distante.
Malcon Mc Flyer Alcunha

Al Reiffer disse...

Caro Glaucos: eu não estou achando nada, as especulações nem são minhas, aliás, não são de ninguém em específico que tenha assumido como suas, eu apenas pesquisei sobre o que foi e está sendo dito sobre as profecias e suas interpretações em livros e na net e elaborei o texto. Perceba, Glaucos, que não estou afirmando que nada disso vai acontecer, estou apenas questionando se vai ou não, se as profecias estão certas ou não. Já no início escrevi: deixo ao leitor as suas conclusões. Quanto à discussão com o Jamerson, creio que o ponto nevrálgico é o seguinte: São Francisco pode ou não pode ser considerado um romano? Pelas minhas pesquisas, inclusive auxiliado pelo questionamento do próprio Jamerson, e todo questionamento é bem vindo, concluo que sim, ele pode, pois, segundo a história, ou nasceu sob o Império Romano do Oriente ou sob o Sacro Império Romano. Agora, quanto à realidade das profecias e ao acerto de suas interpretações, isso já é um outro ponto.

Anônimo disse...

Não tem nada a ver a Roma antiga com esta Roma. As profecias fala desta Roma. Romanus, por ser de Roma. Eu sim acredito na profecia, e relativamente ao Papa, só tenho uma coisa a dizer: Não dêm um passo em falso. Fiquem com ele sempre atrás. Acreditem em Deus e em Jesus Cristo como sempre acreditaram, rezem por eles. Mas relativamente a este assunto, por enquanto fiquem com o pé atrás. É melhor.

Pequena Dúvida disse...

Caro Glauco,
tenho que defender Reiffer, porque o argumento de Jamerson não é válido. Ele colocou a mesma questão no meu blog e eu rebati com a seguinte resposta:

"Não estamos falando sobre o Império Bizantino. Mas sim sobre o Sacro Império Romano, que abrangia Assis na época de São Francisco de Assis, como você pode ver na própria biografia do santo:

http://www.e-biografias.net/sao_francisco_de_assis/

Então, São Francisco era, sim, romano, porque nasceu no Sacro Império Romano. Naquela época não existia Itália, ainda. Sobre o Sacro Império Romano-Germânico:

http://www.euratlas.net/history/europe/1200/index.html

Aliás, Assis foi fundada pelos romanos:

“Os romanos tomaram o controle da Itália central em 295 A.C. Eles construíram o município de Asisium (Assis). Ruínas romanas ainda podem ser encontradas em Assis.”

http://en.wikipedia.org/wiki/Assisi

Mariseven Zanon disse...

Muito interessante o assunto, já tinha ouvido falar. Um abraço.

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Boa tarde!
Parece que você quer MESMO que a profecia dê certo. Até o momento, você disse no post que ele nasceu no Império Romano do Oriente (coisa que já sabemos que não é verdade), agora diz que foi durante o Sacro Império e com isto, insinuas que ele era romano. É até engraçado. É como dizer que os escravos hebreus (conteporâneos de Moisés) eram egípicios porque nasceram no Egito; ou dizer que as crianças indígenas brasileiras são portuguesas porque nasceram num território português (mediante o Tratado de Tordesilhas). Ou pior, dizer que Jesus era romano porque nasceu num local dominado pelo Império Romano. Sabemos que isso não é verdade e nenhum historiador diria isto. No caso de Assis, você "analisando o mapa", deduz que a cidade estava "sob jurisdição do Sacro Império Romano". Mas NÃO acredito em deduções.
Só por isso, já poderíamos negar que ele seja "romano", mas a questão não é esta.
Vejamos o mapa mais de perto, sem "GIF animado" que não determina fronteiras exatamente.
http://www.open-isb.com.br/Mapa%2004.pdf
O Sacro Império Romano está num tom de amarelo, o Reino da Sicília está mais abaixo em laranja, e veja que "Assisi" esá no "rosa claro" (acima da palavra SPOLETO), que a legenda chama de "Papal States". De acordo com o site oficial da cidade, "in the 13th century. In this period the city was under papal jurisdiction." O site continua informando que o cardeal Gil de Albornoz reconstruiu a fortaleza da cidade no topo da colina saqueada em 1189, pois estava sob jurisdição papal. Nada de Império Romano-Germânico. Aliás, nessa época, esse Sacro Império reclamou a cidade de Assis, resultando na Batalha de Collestrada. A cidade de Assis perdeu, mas isso no ano de 1202, e Francisco de Assis já era jovem e era um dos combatentes. De fato, Assis NÃO ERA ROMANO, pois não nasceu sob domínio de nenhum Império Romano. E se esse Império tivesse alguma jurisdição sob a cidade (fato que a História da cidade nega, como mostrei acima) ele seria "tão romano quanto Jesus era romano" - o que seria um erro, tanto que o jovem Francisco ficou aprisionado nessa Batalha. O que a História diz, e de várias formas, é que ele NÃO ERA ROMANO.
http://www.open-isb.com.br/Mapa%2005.pdf
Capisco?

Al Reiffer disse...

E você, Jamerson não quer MESMO que ele seja romano. Primeiramente, todos os seus argumentos não provam que ele NÃO poderia ser considerado romano. O que quero dizer é o seguinte: ele poderia ser considerado romano? No meu entender, sim.

Primeiro: dizer que ele não poderia ser romano comparando ao caso de Jesus que vivia em um território conquistado por Roma e não era romano é um argumento falho. Sabemos que os romanos tradicionais era os italianos, os atuais italianos, principalmente os que viviam bem próximo a Roma, como no caso de S. F. de Assis. Estamos falando em profecias, que não se baseiam em exatidão científica ou histórica, mas em simbologias e analogias. Mesmo que S.F de Assis não vivesse em nenhum dos impérios mencionados, para questões proféticas ele poderia ser INTERPRETADO como romano, pois, como tu mesmo disseste, estava sob jurisdição de ROMA, a cidade papal da época. É uma questão subjetiva? Claro que é.

O segundo ponto é que no mapa que me mostras não há o ano. Que ano que é aquele? No que te enviei mostra que em 1180 toda a Perúgia e terras mais abaixo eram do Sacro Império. Assis nasceu em 1181 ou 1182. Quer dizer que em um ou dois anos toda a Perúgia saiu da jurisdição do Império. E o Sacro Império possuía acordos com os papas, tanto que o Título de Imperador Romano ou Rei dos Romanos foi recriado pelo Papa Leão. Ou seja, querelas com os papas não significam necessariamente rompimento do Império. Eram aliados. Papa e Sacro Império estavam juntos, duvidas? Então, aqui: "A participação do Papa Inocêncio III nas eleições imperiais do Sacro Império Romano Germânico foi documentada por muitas de suas cartas...sua importante participação em questões seculares o levou a reposição dos direitos papais no Sacro Império Romano-Germânico." Inocêncio III foi Papa durante a vida de S.F. de Assis. E só foi papa porque foi assim permitido pelo Sacro Império.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Inoc%C3%AAncio_III

Onde está que a história diz que S.F. de Assis não era romano? Essas são as tuas deduções. Os próprios historiadores não chegam a acordos sobre extensão e duração dos impérios romanos através dos anos, assim como não chegam a acordos sobre muitas outras questões históricas. Agora, não venha com o teu arrogante "Capisco" querer insinuar que és o dono da verdade e que TU SABES que não há nenhuma possibilidade de Assis ser romano. Eu não estou dizendo que ele era, talvez não fosse, mas estou dizendo que há POSSIBILIDADES sim de ele ter sido e/ou assim considerado, ainda mais se estamos falando de um terreno subjetivo que são interpretações de profecias. Ele simplesmente, neste caso, pode ser considerado romano por viver na região típica da antiga Roma. E, se estava sob jurisdição papal estava sob jurisdição de quem? de Roma, a cidade. Ainda assim seria romano. Então, meu amigo, quanto mais tu argumentas, mais tu te enleias. Mas eu, particularmente, acredito que ele, a gosto ou a contragosto, estava, pelo menos quando nasceu, sob jurisdição do Sacro Império. Mas é claro que não tenho certeza porque a história não nos oferece essa certeza. E não venhas tu me dizer que a tens. Capisco?

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Grato ao amigo "Pequena Dúvida", por nos apresentar o mapa europeu do ano 1200, que demonstra que Assis não fazia parte do Sacro Império Romano.
http://www.euratlas.net/history/europe/1200/index.html

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Compadre,
Me interesso por assuntos interessantes. Este, de São Malaquias, é interessantíssimo, se levarmos em conta que "deu certo" até o momento.
MAS, sou contra "forçar a barra" e em vez de "a profecia se cumprir por si só", a gente "fazer a profecia se cumprir". Isso não dá. Não sou católico e acho que o Papa Francisco pode SIM ser o Pedro Romano.
MAS temos que saber de que forma a profecia se cumpre.
São Francisco se chamava Giovanni di Pietro? Sim!
Ele era romano? Não podemos dizê-lo AO CERTO, como você ENFATIZOU na postagem que ele nasceu "na época em que ainda fazia parte do Império Romano do Oriente. Seria, portanto, um romano" - o que chamou minha atenção para teu erro).
Talvez o "Romano" seja mesmo o que você disse, por ele ter nascido "perto de Roma", ou num lugar dominado pelo papa católico romano. Assim se encaixa mais.
Eu recomendo você ALTERAR teu post onde menciona o Império Romano do Oriente (concordamos que está errado), e acrescentar o Sacro Império e algumas palavras como "pode ter sido romano", "há alguns mapas que favorecem", "há a possibilidade de", em vez de chegar e dizer que é (como você fez no post). Assim, estaríamos sendo mais precisos. "Capisco?" rs

Al Reiffer disse...

Jamerson, se tu leres outros comentários meus aqui lerás que eu escrevi que "fui auxiliado pelos teus questionamenos", e de fato fui. Só o que não aceitei foi tua insistência em querer dizer que São Francisco NÃO era romano definitivamente. Tanto em termos de interpretações proféticas quanto de exatidão histórica, não podemos afirmar. Primeiro que ele vivia sob domínio da Roma papal, segundo, que mesmo mantendo certa independência, a Roma papal mantinha-se sob influência dos imperadores romanos do sacro império e vice-versa. Na verdade, o sacro império era governado pelo imperador e pelo papa. Ok, talvez mais tarde eu modifique o texto nesse ponto. Grato pelas contribuições.

E não estou tentando forçar a profecia, estou tentando interpretá-la. As profecias raramente são de interpretações diretas. Aliás, outra coisa que pensei nem tem a ver com São Francisco. Poderia ser que como o primeiro Papa foi Pedro e todos eles são chamados de Pedro, a profecia esteja dizendo que agora, o último Papa é um romano, no sentido simbólico de que o primeiro não tinha sangue romano, mas este tem, pois é de origem italiana, ainda que argentino. Mas talvez isso seja ainda mais forçado.

Anônimo disse...

Petrus Romanus, não tem nada a ver com o nome de Pietro de São Francisco de Assis, mas sim com a essência. Pedro foi dito como o primeiro Papa, com a missão de difundir o cristianismo, ou seja, evangelizar. Já Francisco tem esta mesma essência: a evangelização! Ele é por opção um jesuíta, cuja função básica é evangelizar, assim como demonstra o cristianismo em sua essência a humildade. Esta é a grande semelhnça com Pedro o primeiro Papa. Ele nada mais é do que uma espécie de retorno de Pedro! Dai o sentido de Petrus Romanus.

Anônimo disse...

Ok! Me esclareci sobre várias coisas. Não suportei ler muito além da metade dessa discussão que merecia troca de telefones ou msn pra ficarem se rebatendo, creio que ninguém consiga chegar ao fim dos posts... No entanto, creio que Al Reiffer saiu vencendo nos argumentos.. Com profecias ou não, oremos pelo mundo.. A Terceira Guerra Mundial (a que não vai destruir o mundo) está iminente de acontecer, não? Medo!!! p.s.: Pq agora não discutem sobre a profecia de que o oitavo papa (Francisco ou Pedro Romano) seria o Anticristo? o.O Isso sim, gostaria de contemplar...

Helder disse...

Meu Deus do ceu....Não sei como mas acho que fui um herói em ver essa discussão toda em Assis ser de território ou jurisdição romana...Acho tudo uma enorme forçação de barra. Tentando a todo custo fazer a pseudo profecia dar certo, de qualquer jeito...Alias esta profecia é tão certeira quanto a que dizia que depois de Bento XVI viria João Paulo ll do fundo da terra para ser o ultimo papa e ser o fim de tudo....Falácias...Palavras ao vento...rs

Lia Regis disse...

Realmente escatologia é um assunto fascinante.A Bíblia tem vários relatos quase em todos os profetas ,nos evangelhos, nas cartas de Paulo ,de Pedro e até nos apócrifos podemos encontrar, sem mencionar os videntes do passado.Os sinais estão aí, quem viver nesta proxima decada, verá tudo cumprido.Gostei muito deste blogger, abraços!

rogerio lopes disse...

muitas das profecias cairam e essa vai cair so deus sabe a verdade e que me assusto so de pensar que essas coisas pode se cumprir em nossa era.

rogerio lopes disse...

por tudo de grorias a Deus

Anônimo disse...

Sou Católico, tudo bem se eu acreditasse nessa profecia, mas não acredito. Tudo bem porque sou católico, não adoro Santo e sim tenho veneração por eles. Me admira muito pessoas que não são católicas e que não acreditam em Santos, acreditarem na profecia de São Malaquias, que é Santo reconhecido pela Igreja.

Anônimo disse...

Muy bien expresado !.. Está totalmente claro y
meridiano . Está muy bien redactado !.

my website; cachorro

Anônimo disse...

ESSE É O PAPA QUE VAI REVELAR O 3. SEGREDO DE FATIMA,A CULTURA RACIONAL,POR FAVOR,PESQUISEM NESTE SITE : www.culturaracional.info

meu e.mail morisracional@hotmail.com

arthurdecamelot29 disse...

Além de todos os argumentos que apresentou, Francisco de Assis pode ser considerado romano por outro motivo: ele foi a Roma c/ seus companheiros e curvou-se diante do Papa (Romano Pontífice),pedindo autorização para viver o Evangelho segundo suas intuições sob a autoridade do Bispo de Roma.