04 março 2013

A Mozart e Seu Réquiem


I

que o inicial coro
entre os fins
nos vele...
tiveste
que sentir o fim
no próprio couro
e a morte
na própria pele

II

sepultaram-te
mísero e só
sem piedade...
há um preço a pagar
ao se salvar
a humanidade

III

entre todos na música
a mais viva
a mais luminosa
foi a tua lira...

dizem
que Deus é irônico:
será o teu Lacrimosa
entre aquele
Dia de Ira

4 comentários:

Luma Rosa disse...

Introitus...
Perfeito para ilustrar o poema!
Para degustar devagarinho :)
Obrigada pela visita ao "Luz".
Seja bem-vindo!!

Ana Bailune disse...

Triste, triste... lindo demais.

Aline disse...

É o tipo de poesia que a gente quer ler... E ler novamente!!!

Cristina disse...

Una maravilla... te dejo un fuerte abrazo, bonita noche!