14 dezembro 2012

O Saco do Papai Noel


P. noel,
lê a minha carta:
maior que a tua barba
bem perfumada
de capital
(de fazer trança)
é a tua farsa
bem estufada
de caviar
pela tua pança

de bochechas coradas
e gordas
tu só és papai,
P. noel,
a quem deixar
algumas notas
(e outras cotas)
na (pro)fundidade
do teu chapéu

P.noel
o bom velhinho
velhaco:
só ganha presente
quem tiver dedos
(no meio da moeda)
pra te puxar o saco

3 comentários:

Sónia M. disse...

Adorei este poema!
Criativo e real :)

Beijo
Sónia

Janice Adja disse...

rsrsrsr
Devemos ter cuidado com os pedidos.
pode ser perigoso.
beijos!!!

Nadine Granad disse...

Hahahaha... muito bom!

E eu tô de saco cheio de Papai Noel!


Beijos =)