09 dezembro 2012

In-poema


poema-não
não do tempo
em que arte era alta

de meu resto de alma
deixo um naco de nada
de um fim de festa
de um sim de falta

faz parte...
que a arte
agora é ínfima
ínfera
inferna
de um vazio de peito
de um afundar de perna
inferior
desinterna

ah deusa arte
adeus
morreste
de inf-arte

2 comentários:

Ana Bailune disse...

E/mas dizem que a vida é eterna.

Cristina disse...

Bello leerte!
Te dejo un fuerte abrazo.