07 novembro 2012

Sobre a Discussão Imbecil do Corte de Árvores nas Rodovias de Santiago

O amigo Weimar Donini deveria ter um blog. Já o disse a ele. Trata-se de alguém realmente consciente sobre os nossos problemas políticos e sociais e que, principalmente, sabe abordar os diferentes temas com uma argumentação ampla e inteligente. Sobre a discussão imbecil com relação ao corte de árvores ao longo da BR 287 no município de Santiago, eu nem vou dizer nada. Vou deixar que o Weimar fale a respeito. O seu texto, com a devida autorização do Weimar, foi retirado do blog O Boqueirão.

Diz o Weimar:


"Sou contra os cortes, e dou algumas razões (ratio):  

1) É um diferencial turístico deste trecho da estrada (ainda está mal explorada, é verdade);  

2) Apesar de não ser vegetação nativa, colabora para a qualidade do ar;  

3) Árvores não causam acidentes, via de regra (excepcionalmente uma ou outra, pela ação dos ventos e raios pode cair sobre a rodovia);  

4) Nunca vi uma árvore bater num carro. O contrário, vejo frequentemente;  

5) Se formos utilizar o falacioso argumento do comentarista (de que a derrubada das árvores salvará vidas), a proibição de comercialização de automóveis particulares salvará muito mais;  

6) Se não houver árvores onde bater, o acidentado despencará montanha abaixo e, por último, e não menos importante,  

7) Derrubar árvores é fácil. Qualquer um derruba. Quero ver é plantá-las, cuidá-las. Aí são poucos. Muito poucos. Pouquíssimos!"

Disse tudo, o amigo Weimar. É, mais uma vez, Santiago na contramão da história. Além de não se arborizar devidamente as ruas da cidade, quando temos um local que lembra as belas vegetações europeias, que é o caso dos trechos com pinheiros, querem cortar as árvores, para que alguns possam correr no dobro da velocidade permitida e sair da estrada para capotar barranco abaixo sem o perigo de bater em um pinheiro. É isso que eu chamo de liberdade. É como dizer a alguém: vai lá, anda a 150, 160, não tem mais pinheiros. Isso até parece ser piada, algum tipo de ironia, de deboche, porque não é possível tamanha burrice. É como resolver o problema das bicheiras no gado matando o gado. Só em Santiago mesmo. 

Um comentário:

Vários Editores disse...

É isso aí, caro Reiffer. Espero que não cometam mais essa insanidade. A fiscalização e a colocação de 'guard rails' resolve o problema - sem sacrificar as árvores. Abraço! Júlio Garcia