08 novembro 2012

Ainda Sobre o Estúpido Corte de Árvores na BR 287: Mais uma Contribuição de Weimar Donini

O amigo Weimar Donini envia-me e-mail onde acrescenta mais alguns argumentos lógicos e perfeitamente convincentes sobre o assunto em questão. Após uma contestação do blogueiro Rafael Nemitz em seu blog, o Weimar escreveu a argumentação no próprio blog do Rafael, que, até o momento, não a publicou. Vamos a ela:

A contestação de Rafael Nemitz:

"Penso que todas as manifestações devem ser respeitadas, as favoráveis ou as contra o corte das árvores. Elas não são culpadas pelos acidentes, porém colaboram para as mortes. No trecho de Santiago a São Borja, a maioria dos acidentes com saída de pista não foram fatais isso porque não existem árvores as margens da rodovia."

A resposta de Weimar Donini:


"Respeitando a argumentação do blogueiro, mesmo por que ele é o dono do blog e, acima de tudo por considerar-me um ferrenho democrata, faço algumas considerações para que as reflita e considere:

O blogueiro não entende que os dois trechos (Jaguari/santiago) e (Santiago/São Borja) têm características bastante diferentes? Não percebe que enquanto uma é cheia de curvas e serras, a outra é praticamente plana, com longas e quase intermináveis retas? Isto não faz toda a diferença?

Se não fizer, relembro-lhe outro trecho que ele conhece muito bem, melhor do que eu. Um trecho onde não tem muita vegetação. Aquele ali, na chegada de Jaguari, que contorna o morro do Obelisco e passa pela ponte sobre o Rio Jaguari, indo em direção à São Vicente. Tem árvores ali?
E quantas dezenas de acidentes fatais ali ocorreram? E por quê aconteceram? Devido às árvores, devido aos morros ou devido ao rio? Nada disto! Aconteceram porquê é um trecho cheio de curvas perigosas, incompatíveis com determinadas velocidades, descendente e cheio de viadutos e pontes!

Reflita sobre isto! Que as verdadeiras causas de acidentes são as intrínsecas, não as extrínsecas.
Pode ser melhorado? Pode! E o Júlio Garcia apresenta uma. Mas querer retirar as árvores ou retirar os morros ou retirar os rios, me parece meio irracional."

Mais uma vez, o amigo Weimar está coberto de razão. A questão é para mim demasiado simples. Como muito bem lembrou o Weimar, há um trecho de curvas próximo a Jaguari que não possui árvores e é perigoso. Muitos, sabendo que é perigoso, diminuem a velocidade no trecho para dentro dos limites permitidos. Então, se nos locais em que há pinheiros julgam que há perigo, basta diminuir a velocidade para 80 quilômetros. Essa não é a velocidade máxima permitida? Então para quê querem correr a 120, 140, 160 em trechos que se sabe que devemos ter mais cuidado? 

7 comentários:

Nadine Granad disse...

=) Vi(m), li e assinei ;)

matheus damião disse...

Estes adjetivos "estúpido", "imbecil", etc, servem bem para aqueles que pensam que isto não deve ser discutido. Muitos estudos internacionais sérios recomendam o corte de árvores próximas as rodovias devido aos riscos de colisão quando por alguma razão, que nem sempre é culpa do condutor, veículos desgovernados saem de pista. Países como Suécia, EUA, França, etc, tomaram as medidas necessárias, que os sábios deste Blog julgam como discussão "estúpida' e "imbecil". Vocês devem estar certos, e os estúpidos do primeiro errados....

Al Reiffer disse...

Primeiramente, senhor "matheus damião", em alguns locais apenas estudou-se a possibilidade de cortar uma que outra árvore à beira de rodovias, não de grande parte das árvores, como alguns querem fazer aqui em Santiago. Se discordas, prova-me, mostra-me um local do mundo onde se cortaram a maior parte das árvores ao longo de uma rodovia e que tenha se solucionado, ou até mesmo amenizado, o problema dos acidentes automobilísticos. Fora isso, compara-se a educação no trânsito em países como Suécia e França com a educação no Brasil. Lá, discute-se antes de qualquer coisa como resolver a questão da educação dos motoristas.

matheus damião disse...

Achei que não dariam continuidade a uma discussão "estúpida" e "imbecil"...
Mas tenho aqui farta bibliografia sobre o assunto, inclusive sou eu o autor do trabalho sobre os acidentes na região.
Inclusive, no meu artigo recomenda-se o uso de defensas onde há precipícios, a conservação do árvores sobre barrancos fazendo-se somente um corte seletivo, nos locais onde há recorrência dos acidentes, nos locais muito próximos à rodovia e até mesmo a substituição por mata nativa de pequeno porte, que além dos benefícios ambientais é recomendado para diminuir a monotonia da viagem para os condutores, ajuda na absorção de impactos em caso de saída de pista, além dos benefícios ambientais.
Se disponibilizar seu email posso encaminhar toda bibliografia que embasou meu trabalho.

Al Reiffer disse...

Senhor Matheus: perceba que a discussão a que me refiro, que foi da qual tomei conhecimento (se há outra, talvez eu tenha culpa em não estar por dentro) é a de simplesmente resolver ou amenizar o problema dos acidentes com mortes em alguns trechos da BR287 cortando os belos pinheiros que cercam a rodovia. Para mim, tal discussão é sim imbecil. Mas você está acrescentando outros pontos à discussão que já são de outro teor e que, até então, nunca ouvi falar aqui em Santiago. Por exemplo: defensas onde há precipícios, substituição por mata nativa... Quanto a tais pontos, não sou contra, pelo contrário. Mas até então, não li nem ouvi nada nesse sentido por aqui. Para mim, a questão é muito simples, como já disse: os pinheiros são belíssimos,estão ali há décadas, é um dos trechos mais belos da viagem à Jaguari na minha opinião e na de muitas outras que conheço, e o limite de velocidade nos locais, assim como em quase a toda BR, é de 80km/h. Os acidentes quase sempre ocorrem em velocidades muito acima da permitida. Então, na minha opinião, o que se deve discutir é a conscientização do motorista. Quem passar pelo trecho, deve ter a consciência em diminuir a velocidade e dirigir com cuidado, apreciando a beleza do local. Cortar os pinheiros? A não ser que seja um que outro que esteja fora de seu local, é e sempre será, para mim, um ato imbecil. Outros podem discordar à vontade. E claro que podes me enviar teus trabalhos: reiffer@gmail.com

verdade-verdadeira disse...

Registrado e confirmado:
Árvores são flagradas deacavalo a 120 km/h na descida do Morro Branco, entre Jaguari e Santiago/RGdoSul/Brazil

Barão da br disse...

Pessoal,o trem ja esta na ativa novamente entre jaguari e stgo,uma bela opção não é?