10 outubro 2012

Não Reconheço Nenhuma Autoridade


desde as fezes
que se exalam nos intestinos
os restos vegetais e animais
absorvidos pelo estômago
os colesteróis que circulam pelo sangue
o suor, a lágrima e o óleo
que escorrem pela pele
as secreções dos órgãos sexuais
os ácaros acumulados entre os poros
as bactérias que fermentam
nos recônditos da boca
as poluições do ar
entranhadas entre os pelos do nariz
os catarros dos brônquios
as ceras dos ouvidos
os maus-hálitos provindos do esôfago

até as sinapses dos neurônios
abarrotadas de não-confessados pensamentos
invejas, fraquezas e cobiças
temores, vaidades e angústias
taras, maldades e hipocrisias
vazios, vazios e vazios
por todo o comum estado humano
de psíquica miséria
é que declaro
que não reconheço
nenhuma autoridade e hierarquia
nenhum ser humano
acima de mim

7 comentários:

Doris Dolly disse...

Reiffer..." No reconocemos ...."

Lo que has relatado tiene el contenido de lo que no reconocemos, no hay màs para agregar.

¡¡¡¡ interesante !!!

recibe mi saludo desde Argentina

un beso

Janice Adja disse...

Chego a sentir náusea.
Mais aguentei firme até o fim porquê gostei.
Parabéns!!!!
Beijos!!!!

Ana Bailune disse...

Não sou melhor que ninguém, mas também não sou pior. acima de mim, só o céu.

Enigma disse...

Olá Reiffer,

Nos indentificamos: ) Um semelhante sempre atrai outro semelhante. E se essa é a nossa arte, esses somos nós. Parabéns! Deixo um forte abraço. Bjs!!

Enigma.

Aline disse...

Isso que eu chamo de rebeldia!!! Ótimo!!! Ótimo!!!

Victor Said disse...

É, acho que somos mesmo todos iguais. Igualíssimos em cada micro pedaço. E a única autoridade que reconheço é da poesia, que mesmo sem títulos é nobre em qualquer situação.

Você sabe mesmo como tocar a alma do leitor.

Anônimo disse...

Sempre forte, e PRECISO!

Parabéns, Reiffer!

Beijos

Mirze