04 outubro 2012

Do Fundamental


fundamental
não é o que está feito
é o que está latente
passo ainda não passado
mas astralizado
mais em frente

consequência não-sólida
ainda não-contente
pata de tigre na mata
como um sopro
fatal
mas silente

qual sábio garante
que um vento de veste leve
não vista outro vestido
desvistado
e se torne tornado
mais no diante?

a flor que cai
traz outra queda
em sua queda?
o que é que envolve
o que vem?
o lento
ou o de repente
traz um ato que é fato
um outro ato que esconde
e mais um
que se sente

ah...
o além-motivo
(ausente)
pelo que não
nos motivamos:
um sorriso
rindo do riso
da gente

5 comentários:

Sónia M. disse...

Esse "passo ainda não passado mas astralizado mais em frente" talvez seja a consequência daquilo que já foi feito...

Muito bom o poema!
Beijo
Sónia

Constanza Muirin disse...

!

Lu Guedes disse...

Eu sempre me pergunto o que esperam os poetas de nós? Sim, a pergunta é porque eu leio poesia. Desde sempre. Foi um dos primeiros livros que ganhei na infância. Tinha capa verde e diversos poemas em italiano. Formato diferente. Minha mamys deu pra mim. Lia aqueles versos nas mais diferentes horas do dia, sem compromisso. As vezes não lia e pronto, voltando ao livro vez ou outra. Era poesia e sempre havia um versar que calava minha pele.
Agora ao ler-te, fico com a sensação de que só preciso vir aqui e pronto. O vento pode se tornar um tornado e eu sentirei.
Mas o que dizer ao terminar de ler o poema?
Bem, só posso dizer que o vento acariciou minha pele e a flor deixou suas pétalas sobre minha mesa...

bacio

Mary disse...

Belíssimo poema.


bjos

Milene Lima disse...

Quisera eu compreender a poesia desde a mente do poeta. Sou pouco para isso... Sou admiração e encanto por tão sublime dom.

"um sorriso rindo do riso da gente"... Lindo!

Beijo.