19 outubro 2012

Do Fatal do Gatilho


se adiantar ao adiante...
para quê?

a vida
é um cálculo intuitivo-mental
é videnciar
o próximo instante
sem sê-lo no antes

por que querer
que o que virá
já seja como sendo?

esperar...
dar um palmo de calma ao coração
não trocando os palmos
abaixo dos pés
pelas palmas
acima das mãos

mais que isso
são momentos
de se pressionar o medo
sobre o equilíbrio do trilho
ou de se pressionar o dedo
sobre o fatal do gatilho

Um comentário:

Luiz Alfredo disse...

Sabe poeta adoro degustar
teus versos
por que são instantâneos
que estalam dentro da gente
na hora
as vezes são brutos
e entalam
as vezes são lapidados
que descem como açúcar
as vezes imanentes
outra transcendentes
adoro ler teus versos
eles me lembram
quando lia contos policiais
escondidos
quando era menino
tem o mesmo ritmo
perdão se falei demais

mui belo

Luiz Alfredo - poeta