19 setembro 2012

Manifesto Inflexível


eu não concedo
não sou
de concessões
não suavizo
não volto atrás

eu não agrado
não dou o braço
não busco a paz
não mais
não me retrato
não retrocedo
(se um dia eu fiz
eu me arrependo)

não dou ouvidos
radicalizo
definitivo
e sem sorrisos
eu ironizo

eu não perdoo
não alivio
não temporizo
não acredito

faço miséria
e mau poema...

nem sinto pena

3 comentários:

Los Inviernos de Laura disse...

eu não o sei...
mas estou segura que desprendem seus versos sentimentos que nos encontram, e ainda que dolorosos, nos abraçam confortavelmente.

Beijo.

Ingo disse...

Simplesmente perfeito...
Acho que cada poema ou verso seu age de forma diferente em cada pessoa...

Isa E. disse...

O mau poema é sempre um dos melhores...
Muitas vezes, é ele que mata a sede do leitor.