14 agosto 2012

Perdendo o meu Tempo...

perdendo o meu tempo...
(mas como diria Fernando Pessoa:
o que é o tempo para que eu o perca?)

se eu ler um romance
no lugar de ganhar dinheiro
perderei o meu tempo?
se eu ouvir música
no lugar de ler um romance
perderei o meu tempo?
se eu brincar com um gato
no lugar de ouvir verdades
perderei o meu tempo?

se eu tocar  em sonhos absurdos
buscando antigas inspirações
que não inspirarão ninguém
perderei o meu tempo?

e se eu entender toda a humanidade
sem sair da minha preguiça
(que necessidade que há
de se sair da preguiça
para se entender a humanidade?)
perderei o meu tempo?

real ou irreal...
o que é um ou é outro?
qual dos dois é perda de tempo?

a falsa felicidade de todos
veio do ganho de tempo?

por mais
que eu engendre planos
que por mais se sucessem
que sucesso é que terei
que tempo eu ganharei?

lembro do tempo
em que eu me esquecia
e escrevo algumas linhas
que são ainda mais esquecimento...

por que
devo fazer alguma coisa à humanidade?
ser produtivo
é um ato falho.
não produzir nada:
o mais difícil trabalho.

7 comentários:

Anderson Lopes disse...

Perderemos tudo
Menos o tempo que ganhamos
Enquanto achamos que perdíamos o tempo.

Nélsinês disse...

Li outro texto ótimo que questionava mais ou menos assim: "onde foi parar o tempo que ganhamos com tantas invenções que visam 'aligeirar' as coisas de nossa vida? carros nos transportam mais rápido e no entanto a menos lugares vamos que antes. E-mails superaram em 100% a chegada das antigas cartas e no entanto passamos a nos corresponder menos com os amigos." Para que querermos ganhar mais tempo? Para perdê-lo em coisas fúteis? Nem aproveitamos o tempo que ganhamos para, como diz Al, lermos um livro, ouvirmos uma música... relaxarmos um pouco na preguiça... continuamos correndo atrás do tempo e cuidando de não perdê-lo e nem sequer sabemos em que gastamos o tempo ganho. Se é que ganhamos, pois a impressão é que, quanto mais corremos, mais ele nos escapa entre os dedos.
Mais uma ótima reflexão, Al!

Albuq disse...

Reflito muito sobre o que é perder tempo! Quando comecei te ler, veio logo em minha mente as minhas questões existenciais que englobam profissão, amores, vida.
Bela reflexão.

Clara S. Weisz disse...

é... o que fazer?
a vida vai passando e nós vamos levando e tudo indo e indo...
acentuada tristeza e sutil revolta, muito massa. bjos

Natália Campos disse...

Fantástico! Gostei da linha que as palavras seguiram. O ápice do poema deu um ótimo gosto. Por fim, fechou-o com chave de ouro, não?

Beijos, Reiffer!

Natália Campos disse...

Ah! Sobre o tempo. O que é o tempo? A gente é que faz o tempo. Se eu pudesse, não o faria. Mas às vezes é necessário que ele exista. Ganhei muito tempo estando aqui. Eu sempre ganho quando chego aqui.

Até mais, querido :)

Raquel disse...

Que poema brilhante! Perfeito!