25 julho 2012

Agora sou frio

fazia frio
fora
e dentro de mim...
isso foi há séculos
agora sou frio.

mas há séculos
passei pela floresta
e na floresta
havia um rio
e no rio uma cachoeira
e ao lado da cachoeira
uma grande pedra
e sobre a pedra
caía eternamente
um fio de água
do lado esquerdo do rio...
isso foi há séculos
agora sou frio.

há dias
fui ver a grande pedra
não passava
de um pequeno cascalho
o fio de água
de cair sobre o seu acima
por séculos e séculos seguidos
a consumiu...
isso foi há dias
agora sou frio.

mas quem ali passou
durante os séculos seguidos
não percebeu
que a pedra morria
sob o fio de água de um pequeno rio...

(lá vai,
um abutre,
a minha esperança alada...)

e assim é com tudo que acaba...

mas isso foi há séculos
agora sou frio.

3 comentários:

Ligéia disse...

Que coisa mais linda, Reiffer!... Li e reli. Li como se lê poesia, sem frieza de análise, sem querer entender. Reli com a emoção.

Parabéns,poeta!

Ligéia disse...

Que coisa mais linda, Reiffer!... Li e reli. Li como se lê poesia, sem frieza de análise, sem querer entender. Reli com a emoção.

Parabéns,poeta!

Patty Almeida disse...

Esta poesia...mais que bela!
Inflamou ainda mais meus sentimentos!
Emoção!


Beijos...