10 junho 2012

Teus Olhos Noturnos...

insana
palavra de sombra:
verbo-clarão na verdade...
nada
ilumina o tanto da noite
do que a mais relampejante tempestade

agouro de coruja amiga
que pia
ao que não me iludo...
teus olhos vastos imensos noturnos
que alertantemente
veem tudo...

que segredo que há
entre o que céu
e uma revoada de urubus?...
só a sombra
percebe os mínimos
detalhes da luz...

3 comentários:

Lara Amaral disse...

Para quem tem olho atentos, a noite é a melhor aliada.

Belo poema!

Beijo.

Victor Said disse...

Quando criança tinha medo da noite, dos mistérios e das assombrações disfarçadas de urutaus, curiangos e corujas. Até o sem-fim me assustava. Esse assustava mais ainda,confesso. Depois acho que cresci e fui obrigado a me esquivar dos medos e sobreviver aos demônios que eu mesmo criava. Mudei meus olhos noturnos com os óculos da poesia. Foi justamente nesse momento que deixei-me envolver pelas mansas sombras cravejadas de estrelas.

Dá gosto de ler poemas assim como o seu. É sempre bom vir aqui!

Sônia disse...

Adorei!