21 maio 2012

História-Resumo de um Ser Humano

ali caminha um ser humano
caminha porque tem que caminhar
e se julga um ser humano
por assim lhe dizerem que o é
caminha indo para o trabalho
mas nem sabe por que vai para o trabalho
disseram-lhe que tem que trabalhar
mas nem sabe por que trabalha
talvez porque todo mundo trabalha
talvez porque lhe disseram que precisa de dinheiro
e que todo mundo precisa de dinheiro
e acaba vivendo apenas para ter esse dinheiro
aliás nem sabe por que vive

caminha pela rua
e nem percebe o que está entre a rua
mas no fundo nem sabe por que caminha
muito embora acha que saiba
mas o que é que no fundo ele sabe?
o que é que ele pensa enquanto caminha?
o que é que ele sente enquanto caminha?
pensou tantas coisas
sentiu tantas coisas
que nem sabe por que pensou
que nem sabe por que sentiu
nem o que sentiu
nem o que pensou
ou de onde vieram
ou para onde foram
e que quando chegar ao trabalho
terá esquecido
como se nunca tivesse sentido ou pensado

e talvez morra
como se nunca tivesse vivido
sem saber do de onde tivesse advindo
o do porquê tivesse aqui estado
e do para onde fora afinal
afinal dormiu
sem saber por que
e do que foi enquanto dormia
e afinal morreu
como se nem tivesse morrido

(...)

ser poeta
é dar-se conta
de que não se dá conta

7 comentários:

Cuentos Bajo Pedido ¿Y tu nieve de qué la quieres? disse...

Esquecer o destino es uma desgracia infinita

Matheus de Oliveira disse...

Bem assim, amigo, bem assim. Nem percebemos, mas vivemos, muitas vezes, mecanicamente, uns robóticos. Um abraço

Luiz Alfredo disse...

Belo poema reflexivo
ontologia do ser
que a maioria não percebe
apenas vive sem sentir
não sabe a essência
do trabalho
conceito molecular
que saltou o animal
e foi habitar
um mundo sofisticado
agora vivido
sem poesia
sem ser refletido
e acabamos morrendo
sem entender nada
sem ler o último poema

Que poema!


Luiz Alfredo - poeta

Nadine Granad disse...

Automatismo...

Que clareza, sem perder o peso!...


Beijos =)

Sonhadora disse...

O poeta por vezes anda tão esquecido de morrer...que vivemos sem saber.

Beijinho
Sonhadora

Ligéia disse...

Nossa, a quanta reflexão nos leva esse poema... O Homem não sabe das coisas que vive, mal sabe pra que e por que vive, e caminha, apenas caminha, quando caminha. É urgente entender o caminho, e encontrar os motivos.

Parabéns Reiffer!

MoiselleMad disse...

é bom saber que há um pouco de consciência dentre adormecidos. sua poesia preenche lacunas.