29 dezembro 2011

A Graça de tanta Desgraça

outra manhã amanhecida
(a mesma manhã
bem amanhecida)
com o ranço e a gordura
de todas as outras manhãs
inutilmente amanhecidas...

as mesmas pessoas ridículas
aos mesmos trabalhos risíveis
na graça de tanta desgraça
ah se eu pudesse morrer de me rir
ah se eu pudesse viver de  me ir...

as mesmas pessoas de nada
nadando em pensamentos
de uma mente afogada
na merda
inflada de pensamentos
e nenhum que valha a pena
(pra onde te leva tua perna?)
sentimentalóides debilóides
(e outra manhã de lerda)
e certos de que são profundos...

pelos mesmos caminhos imundos
caminha para o seu sem-sentido
(com o cérebro coberto
com uma tanga)
a moça divinamente bela
( cuja alma é uma baranga)
cuja saliva é de cadela

desta amanhã amanhecida
de que chamam vida
quem me dera morrer de rir...

hora de ir dormir

8 comentários:

Rúbida Rosa disse...

Ah, se tu soubesses, Alessandro, o quanto te entendo... Talvez, porque caminhe, há 32 anos nas mesmas ruas...
Tua poesia é um consolo nas minhas noites contemplativas.
Obrigada!

Pássaro de Fogo disse...

Tua poesia nos toca intensamente, impressionante! Beijo

Paulinha Barreto disse...

Te desejo um ano novo repleto de alegria, de realizações. Feliz 2012

Ligéia disse...

Querido Reiffer, tua poesia, tão carregada de desapego a este mundo imundo, me faz sentir que não sou só eu a sentir asco por tantas coisas, por tanta gente, por tantas atitudes, pela inversão irreversível de valores.

Quero agradecer pela sua importante presença no meu blog, que me incentiva a continuar aqui.

Te desejo um Feliz Mundo Novo!

Um beijo pra você.

Thaís disse...

frasesemponto.blogspot.com
Cá está o link do meu blog,eu estava com o Marcus na noite em que conversamos brevemente e tu mencionou algo sobre eu enviar o link do meu blog através dos comentários,aí está.
No marcador "Meus suspiros" estão os meus textos,no mais são trechos de livros que li vida afora.
Agora continuarei conhecendo um pouco da tua poesia.
E,claro,um ano novo cheio de poesia pra ti,poesia e muita inspiração.
Até breve.

Thaís disse...

[..]"a moça divinamente bela
( cuja alma é uma baranga)
cuja saliva é de cadela"


Isso daqui foi inesperado!
Impactante,arte de verdade.

Ludi disse...

Título forte!! Me fez refletir...
gostei!

Lua Negra Distro Brasil disse...

Belas palavras! refletem bem o dia a dia. Ou enlouquecemos e nos tornamos normais, correndo e passando por cima dos outros, atrás da imagem que preencherá o vazio da alma, do artificial. É! esse é o dia...todo dia é um dia de fúria. Abraços