11 dezembro 2011

Eu não Falo de Coisa Alguma

olho aquele olhar
que nos olha
sem que esteja
em algum lugar que se entenda
sei que ele gosta de não estar lá

não se ouve uma palavra
quando ele se dessilencia
palavras que  ele nunca disse
o que se pensa que é dito
o que não significa que nada faça

mas pelo contrário
ou talvez nem mesmo pelo contrário
ele se realiza não se importando
e deixando que se fale ou cale
aliás ele não se importa
nem em deixar

ele passa sempre a um passo
enquanto se pensa (nós)
no que se pode ser
mas aqueles que julgam pensar
nunca pensam em ele
o que muito lhe agrada
porque quando se pensa em algo
esse algo torna-se um algo
e o melhor é não estar aqui
mas ser só o ser

e logo surgirá alguém
que pensará que entendeu
que talvez eu fale de Deus...
sinal que não
(e talvez o melhor fosse nem pensar)
pensa de nenhum jeito

aliás
eu não falo de coisa alguma
e este poema
como podem bem ver
nem sequer
chegou a ser feito

4 comentários:

Ligéia disse...

Essa coisa alguma,
deve existir,
e estar,
em algum lugar,
onde não queria
gostar de estar...
Mas está lá
Eu sei que está.

Reiffer, vc brinca com a imaginação e com a criatividade da gente... rs

um beijo!

Natália Campos disse...

Criativo! Gostei das palavras, Reiffer! Beijos :)

Rúbida Rosa disse...

Essa "coisa", afinal, é o poema, a poesia!
Mesmo que não comente, "ando sempre" por aqui!
Agradeço tua visita e comentário!
Abraço.

Janice Adja disse...

Agradeço a parreira que cuidadosamente amanha as minúsculas frutinhas saborosamente embriagantes.