09 novembro 2011

Sarcástico

...nada
é o Tudo que o Todo nos dá
quando a garganta é ao máximo erguida
e a esperança é ao extremo elevada:
se suplicares alto demais
deixarás os anjos surdos
e o próprio ato de pedires
é um absurdo entre só absurdos

quando se pensa a vida
como já arquitetada
o sonho se torna caduco
e caem-lhe os dentes da boca
e toda essa grave promessa da sorte...
haha! a promessa é uma panela oca
trazida nas mãos debochadas da morte

o Sol que se levanta todas as manhãs
traz sim o seu sorriso
implacavelmente sarcástico
e o seu amor pela Desilusão
já se tornou um caso clássico...

pega um pouco de água
daquela poça podre da estrada:
terás que fazer uma sopa
com as letras já duras e secas
da felicidade
imagi...
nada...

7 comentários:

Nadine Granad disse...

Engraçado que 90% do que eu escrevo são sentimentos, amor que me sufoca, dúvidas que me martelam, inseguranças... E sua poesia caótica, engajada, me prende!...

Gosto da surpresa, da riqueza de imagens... Lembro-me quando venho ao "Fim" (longe de comparar, cada qual possui suas particularidades)dos "poetas malditos"...


Beijos =)

Marisete Zanon disse...

Oh! My God! Que drama! Mas em toda crítica há drama, não é mesmo " senhor Augusto dos Anjos"? Muito bom mesmo!
Um abraço

Natália Campos disse...

Muito bem colocada e escolhida cada palavra de seu poema. Lindo!

lucass repetto disse...

E muitos fazem de suas almas porcelana sem brilho!

Você constrói o oposto, alma reluzente!

MIRZE disse...

MUITO BOM!

Felicidade!?

Só mesmo na imagem do nada!

Beijos, poeta

Mirz

Luna Sanchez disse...

É o saber dentro do saber, o paradoxo, o nó que dá nos neurônios, que vem junto com a conscientização.

É uma revolução interna.

=*

NVBallesteros disse...

Me gusta como escribes, disfruto la fotografía de imágenes que haces....


Besos