10 outubro 2011

...do Réquiem de Mozart

se fosse o ribombar de um sino
pela morte de um gênio
se fosse o choro de uma criança doente
e o rugido de um leão
no terrível das savanas africanas
e a tragicidade desolada
do som do tombo de uma árvore
e o clamor surdo
dos que morrem de fome no planeta
e a agitação jamais curvada
dos maremotos em oceanos
e a violência sem compaixão
da revolta de furacões
e o desabar indômito
de toda uma cidade por um sismo
e os coros apocalípticos
do Réquiem de Mozart
e a  capacidade sublime
das Sinfonias de Beethoven
atingir todo o universo...

se  eu conseguisse reunir
todos esses poderes sonoros
talvez eu fosse ouvido...

mas o meu poema
é só o meu poema...

4 comentários:

Luna Sanchez disse...

Também tem voz no silêncio, às vezes tem até grito.

;)

Um beijo.

NVBallesteros disse...

Solo se puede escuchar a Mozart desde el alma....


Besos

Marisete Zanon disse...

O seu poema é maravilhoso! Um beijo. Passa lá no meu blog, fazer-me uma visita e ler minhas palavras. Tem conto erótico também...rss.

lucass repetto disse...

''mas o meu poema
é só o meu poema...''


A menina dos olhos!