14 outubro 2011

Aquilo que nem quero dizer...

não venha ler aqui
alguma coisa dita
não me procure razões
naquilo que nem quero dizer
que uma palavra real
não vale a pena ser escrita
não me procure lições
naquilo que não quis estar
ainda que se diga coisa alguma
nada do que é humano
irá em verdade mudar

deixa este verso não ser nada
uma realidade fora além inexistente
distante  de tudo o que é
(e o que é que é?)
nem dito para
nem feito por gente
por que haver aqui qualquer verdade
qualquer filosofia
ou alguma fé?

não procure aqui uma mensagem
não queira saber se estou certo
há tanto outro tanto
eu mesmo sou outra imagem
do que nunca se irá sonhar
então que isso não passe
de uma canção sem letra
ou de um suspiro que descansa
que descansa
pelo lago alado do ar
pelo lado amargo da dança...


deixa este verso bem longe
de tudo que se aproxime da vida
quero que ele voe
lá onde me esconde
e deixe aqui minha alma
abismada
mas erguida

3 comentários:

MIRZE disse...

Tão lindo, Reiffer!

Espero que o poema que por si só já é ensinamento valga por ele.

Que ninguém tenha vindo aqui perturbar sua poesia ÚNICA".

Beijos

Mirze

Luna Sanchez disse...

Ação e reação, aquilo que escrevemos provoca efeitos em quem lê, nem sempre efeitos que pudéssemos prever ou que nos agradam.

Exitir implica em riscos, até mesmo para as palavras.

;)

Um beijo.

Rúbida Rosa disse...

Alessandro,
Agradeço a tua visita e comentário!
Na maioria das vezes as pessoas procuram (e até acham) coisas que nem passaram pelo nosso pensamento nas coisas que escrevemos... Vejo e sinto isso também.
Meu primeiro livro será lançado na feira deste ano, gostaria muito de vê-lo por lá!
Abraços!