03 setembro 2011

Presidente Dilma: "Vamos vencer a crise consumindo e investindo"

É a manchete de capa do jornal Correio do Povo deste sábado. Consumindo... Consumir.  O que é consumir? O Dicionário Ilustrado da Língua Portuguesa diz o seguinte: Consumir - gastar, despender, extinguir. Extinguir. É exatamente isso que estamos fazendo. Nós, a humanidade. Consumir é extinguir. É o que fazemos com tudo no planeta. Extinguimos. E eu não culpo a presidente Dilma pela sua afirmação. Isso é o que faz o mundo inteiro. É o que cada um de nós faz, quer queira, quer não. Todo governante diria a mesma coisa que Dilma. Todo político. Todo empresário. E por aí vai. Se não diz, pensa, e age de acordo. E é o que precisa ser dito. Consumir mais para que haja mais produção e assim mais lucro e mais dinheiro e mais trabalho e mais alimento para a população que não para de crescer e que quer e precisa consumir cada vez mais e mais e...

Mas se torna, no mínimo, interessante uma presidente de um país afirmar publicamente: "Vamos vencer a crise consumindo". A sociedade do consumo. Magnífica! O auge de nossa evolução. Cantada por intelectuais e filósofos. Nunca estivemos tão bem. Mas consumindo o que? Quem? Já pararam para pensar?  O que é que nós consumimos afinal? Certamente, "consumindo" deve ser a forma que todos os países e povos encontram para sair da crise. Qual crise? Por que estamos em crise? Quem é que paga o preço do nosso consumo? Até quando poderemos consumir para sair da crise? Quem consome, consome alguma coisa. Sim, eu sei, estou me tornando chato, repetitivo, mas parece que ninguém entende. Ou  melhor, entendem, mas não compreendem. Entendeste? Só rindo. Esta civilização é uma piada. E também, o que adianta compreender?  Ninguém vai mudar mesmo. 

Esta civilização é exatamente como aquela pessoa que precisando se esquentar, e com o estoque de lenha já acabando, começa a queimar tudo o que possui em casa. Assim, vai espantando a "crise" do frio. Queima os móveis, os utensílios, os alimentos, os livros, cds, roupas, aparelhos, enfim, tudo. Até tenta poupar, mas uma hora sabe que vai acabar queimando tudo. Pois o frio não passa. Podemos parar de consumir? Até chegar o momento em que não haverá nada na casa e nem mesmo a própria casa, somente a lareira queimando. É o que esta civilização faz com o planeta. Ou não é?

5 comentários:

MIRZE disse...

REIFFER!

E como É! Acho que o apelo para consumir mais e mais, é para que o capital de giro dos banqueiros aumentem. A cada produto consumido, 18,5% ficam para o estado. Incluindo as tarifas federais, o que compramos por 1.000,00 deve valer 150,00. Só quem lucra são os empresários e banqueiros. Mas para isto aprimora-se a não educação. Um povo alienado por propagandas e apelos de consumo, não pensa no que está embutido no produto. E como quase nada é produto nacional ainda contribuímos para fazer crescer o ativo de outros países.

É uma pena!

Excelente!

Beijos

Mirze

Zélia Guardiano disse...

Concordo plenamente com você, meu querido Reffer: em gênero, número e grau.
A humanidade , a sociedade de consumo trilha um caminho sem volta...
Sei de que você fala!
Sou professora de filosofia. Lecionei por muito tempo essa matéria! Quanto tentei doutrinar os jovens na senda do "consumir menos"...Luta ingloria! Quem pode com a mídia a divulgar necessiadades criadas artificialmente?
Abraço, amigo!

Júlia Brum disse...

Muito bom. Dificilmente alguém é ensinado a diferenciar o que é ou não necessário, as duas coisas estão tão juntas e em alguns pontos até se fundem. Nenhuma parte do texto foi chata, porque é necessário a percepção de que o consumo "óbvio" para nossa existência e a lógica necessidade por gastar cada vez mais tem o ponto de vista tão importante da destruição. É triste, e, de qualquer modo, impossível de fugir ao incentivo dessa nossa sociedade que por um lado é também prisão. Espero ler aqui outros textos como esse, parabéns.

Davi Machado disse...

É.
Eu não sei sabe, tenho a impressão de que o Dadaísmo ainda cabe bem por aqui.
Presumo entender tua revolta, se é ainda revolta.

NVBallesteros disse...

Es muy lamentable ver la cantidad de cosas que "disque necesitamos para vivir" Dicen por ahí que un ser humano no necesita mas de cien cosas para estar bien......


Besos