23 agosto 2011

“Meu Coração, não sei por que...”


meu coração...

se eu disser que tu estás mal
todos vão dizer
que estarei sendo um melodramático
ou um ressentido
ou um egoísta
que só se importa
com seu próprio lado
e sua própria crista

meu coração...

se eu disser que tu estás bem
todos vão dizer
que estarei sendo água-com-açúcar
um enjoadozinho
poesia fraquinha sem graça
que não vale um tostão
se declamada em sorrisos
no meio da praça

e meu coração...
se eu disser que tu sofres
pelo sofrimento do mundo
serei acusado
de ser falsamente profundo

então
meu coração
não sinta nada
mantenha-te frio...
entre a neve lerda
ou
melhor ainda
vai  à merda

5 comentários:

NVBallesteros disse...

Suelo pensar que mi corazón es un tonto porque por mas que lo entierro en hielo el sigue tibio sintiendo....

Besos

Nadine Granad disse...

Rs... não há como deixar de rir com o final ;)

MIRZE disse...

Amei, Reiffer!

Quem nos lê é pior que aqueles que levavam à forca por nada.

".se eu disser que tu sofrespelo sofrimento do mundoserei acusadode ser falsamente profundo"

Belíssimo!

Beijos

Mirze

Guilherme Vinjar disse...

Muitíssimo obrigado pelo comentário e pelas palavras sobre o meu blog.

Quando leio algo de tua autoria, seja conto ou poesia, entro em estado de êxtase. Não há outra palavra ou estado que definam o que sinto naquele momento.

Tua facilidade em falar e relatar assuntos que deveriam e devem receber mais atenção, os ácidos textos julgando a podridão desta sociedade decadente, as palavras nuas e cruas em textos com temas complexos...

Orgulho-me de saber que aqui neste desigual país ainda há uma pessoa que o salva por meio da arte.

Apenas, parabéns e sorte.

: )

Davi Machado disse...

Poema que retrata bem certo tipo de julgamento. Final excepcional!